O que é Empresa de Capital Aberto?

Quem investe ou pesquisa sobre assuntos relacionados a investimentos, certamente já ouviu falar sobre as chamadas empresas de capital aberto, mas você conhece a fundo os detalhes de uma? Então, continue a leitura e descubra o que é, suas características, vantagens e desvantagens e todo o processo necessário até ela chegar ao público investidor!

Basicamente, uma empresa com capital aberto é um negócio no qual a companhia possui ações que a representam na bolsa de valores. Com uma exemplificação mais prática, significa que qualquer pessoa pode adquirir ações dessa empresa por meio de uma corretora de valores, ou seja, após adquirir a ação, você passa a se tornar um sócio desta empresa!

Em outras palavras, a empresa faz uma “troca”, aceitando investidores e acionistas para compor ou aumentar seu patrimônio, e os recompensa com a participação nos negócios, inclusive os lucros! (e prejuízos), que serão apresentados mais abaixo.

Mas antes de tudo, a companhia que pretende se tornar uma empresa de capital aberto precisa, obrigatoriamente, realizar o chamado IPO – Initial Public Offering, em inglês, ou Oferta Pública Inicial, em português.

O IPO, também conhecido como abertura de capital, é um evento que se refere a primeira venda das ações do empreendimento, sendo negociadas na bolsa de valores, no caso, o Brasil Bolsa Balcão – B3. A empresa também pode realizar uma oferta pública inicial em uma bolsa de valores estrangeira.

Para que todo o processo do IPO ocorra bem, são necessários vários requisitos para que a Comissão de Valores Imobiliários (CVM) aprove a empresa a fazer parte da listagem da B3. Confira alguns dos principais requisitos:

  • Solicitação de registro na CVM;
  • Solicitação de registro na BM&FBovespa – B3;
  • Relatórios financeiros auditados por terceiros;
  • Relatórios fiscais, de governança corporativa e controles internos;
  • Estrutura societária;
  • Entre muitos outros...

A abertura de capital por uma empresa pode ocorrer por vários motivos, como, por exemplo a necessidade de captar recursos para o caixa da companhia e pagar dívidas, ou visando o crescimento da empresa, com aquisições e investimentos na empresa.

Uma característica das empresas listadas na Bolsa é a transparência de gestão das mesmas, que desde o início é essencial, vide as muitas exigências para o IPO. É necessário que as empresas apresentem informações corretas e bem estruturadas sobre seus balanços financeiros e resultados para, de certa forma, atrair os olhares do mercado para a companhia. Todas esses dados podem ser conferidos através do site de Relacionamento com Investidores (RI) que cada empresa possui ou aqui no Análise de Ações.

Finalizado o IPO com sucesso, a empresa agora passa de uma empresa de capital fechado, para capital aberto. Isso significa que as decisões da companhia deverão ser tomadas através de um Conselho Administrativo ou Assembleias, já que agora são vários sócios, e não mais os sócios fundadores, por exemplo. 

A depender do tipo de ação adquirida, você pode ter direito ao voto nessas assembleias administrativas, participando das decisões do rumo do negócio. Mas claro, o poder de decisão está nas mãos de quem possuir 50% mais um do total de ações ordinárias.

Mais um fator que faz o investidor voltar seus olhos para uma empresa, é a distribuição de lucros! Como citado acima, você passa a ser um sócio da empresa, certo? Por isso, é justo que receba parte do valor quando está empresa lucrar. Esse valor pode ser distribuído como dividendos ou juros sobre capital próprio (JCP). Há empresas que são reconhecidas há muito tempo por distribuir bons valores em dividendos ou JCP. 

Destacando que, cada empresa possui seu estatuto quanto a distribuição de lucros, mas empresas jovens tendem a reter maior parte dos lucros para reinvestir na companhia, almejando um crescimento, enquanto as gigantes empresas mais consolidadas, podem ter um payout “generoso”, já que não é mais necessário uma grande ascensão da mesma.

Lembrando que, você, como sócio, tem lucros ou prejuízos de acordo com a sua porcentagem acionária na companhia.

Para a empresa, abrir o capital na Bolsa de Valores gera uma série de vantagens. Veja algumas:

  • Imagem da empresa: após realizar o IPO com êxito e ser listada na Bolsa, a imagem passa a ser reconhecida, podendo gerar uma grande visibilidade para a mesma.
  • Obtenção de recursos de maneira mais fácil, como já foi citada.
  • Caso a companhia apresente bons resultados e veja suas ações valorizarem, ela estará gerando valor aos acionistas, e logo será percebido pelo mercado em geral, que passará a ver a marca de uma maneira mais positiva.
  • Vantagem competitiva devido à exposição da marca, desde o seu IPO. Isso resultaria em melhores condições nos fornecedores e melhores taxas nas instituições financeiras, por exemplo. Além da percepção do cliente de que os produtos são de maior qualidade.

Mas é claro que também existem desvantagens para a própria empresa, sendo algumas:

  • Taxas iniciais para o IPO e outras contínuas;
  • Contratação de empresa de auditoria externa, prospectos e outros gastos;
  • Maior pressão por resultados positivos e forte cobrança quando os resultados são negativos;
  • Menor controle se comparado a uma empresa de capital fechado.

Agora que você já conhece a fundo como uma empresa de capital funciona, suas vantagens e desvantagens, veja algumas das mais conhecidas ações das Bolsas de Valores.

Destacando que essas são somente algumas das maiores e mais conhecida, e não estão ordenadas de maneira a uma ser mais reconhecida que a outra.


Mural de discussão

Se a sua dúvida é sobre algum ativo, pesquise-o na caixa de busca e verifique se a sua dúvida já foi respondida por algum membro da comunidade.