O que é Risco Operacional?

Existem riscos que são esperados e pode-se até criar um sistema para amenizar os seus estragos, no entanto, eles sempre irão existir. Um deles é o risco operacional.

O risco operacional está presente em todos os empreendimentos, independente do seu tamanho, ou qual seja o seu segmento de atuação.

O fato é que o risco operacional possui muitos fatores que podem influenciá-lo. O que significa que é necessário ter uma visão bem abrangente do negócio?

O que é risco operacional?

O risco operacional é, como o nome diz, um risco que está inteiramente relacionado à operação de uma empresa. E ele envolve desde a estrutura física até o pessoal.

Não existe nenhuma forma de se prevenir completamente contra o risco operacional, apenas maneiras de mitigá-lo, usando de planejamentos e estratégias.

No entanto, é perfeitamente possível traçar um paralelo entre o tamanho da organização e o risco operacional. Quanto maior é a empresa, maior é o seu risco operacional.

Tipos de risco operacional

Agora vamos dar alguns exemplos de riscos operacionais. São eles:

  • Fraudes: as pessoas que têm acesso a informações sigilosas ou a áreas restritas podem usar da má fé para buscar de uma compensação financeira indevida;
  • Falhas de segurança: a segurança, seja ela eletrônica ou física, está sujeita a falhar em determinadas circunstâncias, seja por negligência ou outra razão;
  • Julgamento humano: pessoas cometem erros e, se um processo depende do julgamento de um humano, erros são inevitáveis em algum momento;
  • Erros de sistema: sistemas computacionais estão sujeitos a falharem ou agirem de forma imprevista e dificilmente é possível prever essas falhas.

Categorias do risco operacional

O risco operacional, por sua vez, está dividido em três categorias distintas. São elas:

  • Risco organizacional: está relacionado a falhas decorrentes da falta de um planejamento e organização da empresa;
  • Risco pessoal: tem relação com a parte humana da empresa, ou seja, as pessoas que fazem parte e contribuem com a estrutura;
  • Risco de operação: é o risco relacionado a falhas de sistema ou brechas de segurança, tanto digital quanto física.

Todas as empresas correm esses riscos, porém, o que melhor pode ser controlado é o risco organizacional, visto que este se deve a falta de um direcionamento administrativo.

Portanto, contanto que a empresa se organize e entre no mercado com uma estratégia definida para gerir o seu negócio, este risco diminui consideravelmente.

Por outro lado, tanto o risco pessoal quanto operacional são difíceis de serem evitados, pois, eles estão relacionados com imprevistos e situações fora do controle total da empresa.

No caso do risco pessoal, funcionários podem faltar por causa de doenças, terem filhos e precisarem de licença, ou mesmo virem a falecer. É difícil controlar esses fatores.

Em relação ao risco da operação, mesmo o sistema mais avançado e seguro está sujeito a falhas ou pode ser invadido por hackers. Lojas físicas, por sua vez, podem ser assaltadas.

Por fim, vale ressaltar a importância de uma operação bem estruturada e que funciona de acordo com estratégias, rotinas e um acompanhamento dos processos.

Mural de discussão

Se a sua dúvida é sobre algum ativo, pesquise-o na caixa de busca e verifique se a sua dúvida já foi respondida por algum membro da comunidade.