A inflação é um importante indicador econômico de um país, pois mede a variação de preços em um determinado período de tempo, geralmente de cunho mensal e anual, representado pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) ou pelo IGP-M. No universo dos investimentos, tal marcador é amplamente utilizado para verificar a rentabilidade e performance de ativos financeiros.

Sendo assim, os Fundos de Inflação são compostos de títulos atrelados ao IPCA ou IGP-M, ambos marcadores da inflação. Assim, tais fundos são classificados como de Renda Fixa, pois a rentabilidade é previsível. O objetivo mais evidente desses fundos é proteger o poder de compra dos investidores contra a inflação.

Para estabelecer a rentabilidade de títulos públicos frente à inflação, há um outro índice de mercado, o IMA-B. Desse modo, os Fundos de Inflação são subdivididos em dois grupos, os Fundos de IMA-B 5 (fundos compostos por títulos que têm vencimento menor que cinco anos); e os Fundos de IMA-B 5+ (fundos compostos por títulos com vencimento superior a cinco anos). Há ainda os Fundos IMA-B, aqueles sem restrição de prazo.

Como a inflação é imprevisível e a equipe econômica do Governo Federal tem a missão de a controlar constantemente, os Fundos de IMA-B 5+ variam com mais frequência no mercado, ou seja, são as opções mais arriscadas e, portanto, mais rentáveis.

As vantagens desses fundos é a liquidez, a proteção contra a inflação, a segurança e a simplicidade do investimento e o baixo custo de aporte inicial, além da gestão especializada e alto potencial de retorno, somado à camada de proteção. Além disso, os Fundos de Inflação são opções interessantes para diversificação da carteira.

Em contrapartida, há algumas cobranças compulsórias, como taxas de administração (varia entre 0,5% e 2%) e performance, mais a cobrança de Imposto de Renda, de acordo com a tabela regressiva (quanto mais longo for o investimento, menor será a cobrança do Imposto de Renda), sem esquecer do come-cotas. Em operações que duram menos de 30 dias, há a cobrança do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Para concluir, os Fundos de Inflação são opções defensivas de investimento, as quais podem se mostrar muito rentáveis. Tais fundos não performam bem apenas quando a inflação está em baixa. Quando a inflação está alta, por sua vez, os Fundos de Inflação terão uma performance melhor que Fundos de Ações, por exemplo.

Veja outros termos do mercado financeiro:

Mais acessados