O que é Oferta Restrita?

Quando uma empresa decide abrir a sua sociedade para investimentos externos, ela pode fazer isso indo para a bolsa de valores, executando um IPO ou uma Oferta Restrita.

Nem todos os investidores conhecem a Oferta Restrita ou sabem como ela funciona, mas trata-se de uma alternativa interessante para grandes empresas.

Existem algumas diferenças fundamentais entre uma oferta pública de ações e uma Oferta Restrita, mas ambas servem aos mesmos propósitos.

O que é uma Oferta Restrita?

A Oferta Restrita de ações trata-se da abertura da sociedade de uma empresa para investidores profissionais que podem adquirir suas ações na bolsa de valores.

Se chama uma oferta restrita porque, diferente de um IPO (Oferta Pública Inicial), não são todos investidores que podem participar dela, apenas os que cumprem certas exigências.

Em contrapartida, a oferta restrita tem o mesmo propósito de uma oferta pública, ou seja, captar recursos para expandir os negócios da empresa.

Algumas empresas optam pela oferta restrita por se tratar de um modalidade mais simples e rápida, no entanto, outras usam a oferta restrita como uma etapa inicial de sua estratégia.

Empresas que decidem por fazer uma oferta restrita, geralmente não cumprem as exigências de governança corporativa que a B3 pede para ofertas públicas.

Em contrapartida, isso não significa que a oferta restrita não tenha as suas próprias regras que precisam ser seguidas à risca para não haver problemas.

Regras para Oferta Restrita

A oferta restrita estabelece algumas regras que são respaldadas na Instrução 476 da CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Essas regras são:

  • Apenas investidores profissionais podem participar (aqueles cadastrados na CVM ou com mais de 10 milhões investidos na bolsa);
  • Devem ser convidados 75 investidores, mas apenas 50 deles poderão adquirir as ações que estão sendo negociadas na oferta;
  • A empresa que faz a oferta restrita não precisa apresentar um prospecto e a oferta não precisa ser analisada pela CVM, o que pode oferecer riscos.

Por fim, depois que os investidores adquirem as ações por meio da oferta restrita, eles só podem negociá-las entre outros investidores profissionais, pelo prazo de 18 meses.

É importante ressaltar que, investidores profissionais, além de terem dinheiro, também têm condições de analisar melhor a oferta mesmo sem ter tantos dados à sua disposição.

Vantagens da Oferta Restrita

A oferta restrita possui várias vantagens para a empresa que decide operá-la, a primeira delas é o nível de burocracia que é bastante reduzido.

Havendo menos burocracia, existe um incentivo às empresas a abrirem capital dessa forma e conseguirem recursos financeiros providenciais com muito mais rapidez.

Também há o fato de que investidores profissionais são menos propensos a buscarem por especulação, tendo o objetivo de realmente participar das decisões da companhia.

Fazer uma oferta restrita também é uma forma de medir o interesse das pessoas, para se preparar para uma eventual abertura completa do capital da empresa. 

Vale lembrar que uma oferta restrita geralmente tem ações precificadas com um valor menor, então os investidores podem se beneficiar com a sua valorização em um IPO.

Mural de discussão

Se a sua dúvida é sobre algum ativo, pesquise-o na caixa de busca e verifique se a sua dúvida já foi respondida por algum membro da comunidade.