Ações do setor Locadoras

No Brasil, em geral, existem poucas companhias de grande porte atuando na locação de automóveis, mas o setor é interessante sobretudo no quesito de receitas. Ver mais

Conheça o setor Locadoras

Escrito por:

Marjoel Moreira

No Brasil, em geral, existem poucas companhias de grande porte atuando na locação de automóveis.

Apesar disso, o setor é extremamente interessante sobretudo no quesito de receitas e tem como as principais fontes de locação as seguintes:

  • Locação de veículos;
  • Revenda dos veículos (venda de seminovos);
  • Gestão de frotas, para clientes de porte comercial / corporativo;
  • Aluguéis de veículos com foco em públicos diferentes;
  • Aluguéis de diferentes alternativas de veículos, como patinetes ou veículos de carga.

Além disso, o setor de locadoras possui como forte vantagem competitiva as barreiras de entrada no segmento. Isso se deve ao alto capital necessário para adquirir os veículos para locação.

Por outro lado, naturalmente existem riscos intrínsecos, sendo o principal deles relacionado ao endividamento necessário para atuar no setor de locação.

Cabe destacar ainda que o segmento vem enfrentando um momento de concorrência mais acirrada. Pequenas companhias de aluguel de veículos, por exemplo, cobram pelo tempo utilizado, em troca de alugar os veículos com prazo reduzido.

As locadoras de veículos na bolsa de valores

O mercado de capitais nacional é dotado de poucas companhias locadoras de veículos. As mesmas interligam suas atividades ao mercado financeiro de duas formas:

  • Emissão de títulos como debêntures;
  • Emissão de ações em bolsa de valores.

No primeiro caso, através da emissão de títulos, as locadoras em geral lançam debêntures, que são títulos de renda fixa, emitidas por companhias terceirizadas.

Esses títulos são emitidos em momentos onde a companhia entende que o financiamento assumirá um custo menor em relação aos empréstimos bancários.

Na emissão de debêntures, inclusive, reside parte da sensibilidade das companhias às variações na taxa Selic. Afinal, em momentos em que a taxa está alta os investidores exigem uma maior remuneração por seu risco. Isso aumenta o custo para que as locadoras se financiem.

Já na bolsa de valores, existe menos de uma dezena de companhias do setor de locação listadas na B3, entre elas estão:

  • Localiza (ações RENT3): Em termos de patrimônio líquido, trata-se da maior locadora de veículos em território nacional, possuindo uma ampla rede de aluguel de carros tanto no Brasil quanto em outros países da América do Sul;
  • Unidas (ações LCAM3): Segunda maior locadora em termos de patrimônio líquido, entretanto, a Unidas possui maior ênfase em clientes comerciais / corporativos, por meio da gestão de frotas terceirizadas;
  • Movida (ações MOVI3): Locadora de carros com menor porte, em termos de patrimônio líquido, na bolsa de valores. A Movida empreende tanto no aluguel regular de carros, quanto no aluguel de modais alternativos e de veículos de carga de pequeno porte;
  • Vamos (ações VAMO3): Controlada pela Simpar (mesmo controlador da MOVI3), possui foco no aluguel de veículos de carga de grande porte, como caminhões, além de outros equipamentos específicos.

Vantagens no setor de locação de veículos

O setor de locação de veículos tem uma alta barreira de entrada relacionado ao capital. Afinal, em prol de adquirir uma grande quantidade de veículos, com o objetivo de obter um maior volume de locações, é necessário possuir um grande montante inicial ou acesso a significativas linhas de créditos.

Essa barreira de entrada impede que diversas empresas de pequeno porte concorram com as locadoras já consolidadas no mercado.

Além disso, locadoras de veículos de grande porte contam com um maior poder de barganha / negociação. Isso é um grande diferencial principalmente no momento de compra de veículos, onde uma companhia de grande porte poderá comprar uma maior quantidade de veículos.

Essas empresas possuem também melhores margens para a negociação. Os locadores de grande porte possuem a capacidade de comprar veículos a preços mais baixos, assim como de obter crédito com juros mais acessíveis.

Ao analisar o modelo de negócio, as locadoras possuem também determinadas vantagens operacionais. Pode-se destacar, inicialmente, o serviço de gestão de frotas.

É muito comum que grandes empresas (de vários setores), não desejam comprar seus próprios veículos em virtude da depreciação. Então essas companhias terceirizam este serviço para as locadoras por meio de contratos de locação de longo prazo. Sendo assim, as locadoras possuem, além de pessoas físicas, grandes empresas como clientes.

Por fim, o negócio de revenda dos veículos seminovos, utilizados previamente para locação, possui a vantagem de gerar capital para que as locadoras se financiem na renovação de sua frota.

Vale destacar que a locação de veículos ganha, progressivamente, maior atenção dos clientes. Nos dias de hoje, muitas pessoas não desejam mais adquirir um veículo, sobretudo por conta dos custos envolvidos, como IPVA, seguro e manutenções.

Portanto, com o aumento na demanda pelos serviços, as locadoras conseguem diluir os custos e, consequentemente, oferecer aluguéis por preços menores e mais acessíveis ao consumidor.

Riscos do setor de locadoras

As companhias de locação de veículos utilizam empréstimos, tanto bancários quanto no mercado financeiro, para financiar a compra de novos veículos. Sendo assim, o setor de locação pode desenvolver um alto grau de alavancagem para financiar suas atividades.

Isso cria uma conjuntura onde as locadoras são, geralmente, impactadas por mudanças na taxa Selic, afinal, essa taxa vai referenciar os empréstimos que as locadoras têm nos bancos ou no mercado de capitais.

Além disso, em um cenário de alta taxa de juros, a economia se torna desaquecida, o que desestimula o turismo, por exemplo, tendo um impacto indireto, porém negativo, sobre os resultados das locadoras de veículos.

Vale frisar ainda que o setor de locadoras tem sofrido com inovações tecnológicas, o que impõe a necessidade de maior alinhamento das empresas ao uso dos canais digitais, para otimizar seus negócios e atender aos clientes com maior agilidade.