O que é BOVA11?

Escrito por:

Marcilio Lima

O BOVA11 é um dos mais conhecidos e tradicionais ETFs (Exchange Traded Funds) presentes no ambiente de negociação da B3.

Com uma gestão feita pela BlackRock, a estratégia do BOVA11 se resume em seguir a performance do Índice Bovespa.

Assim sendo, esse ETF se tornou popular no mercado ao permitir uma exposição às principais ações da bolsa brasileira por meio de um investimento relativamente baixo.

Vale lembrar que, assim como demais ETFs, o BOVA11 é constituído sobre a forma de condomínio fechado, ou seja, para liquidar seu investimento o investidor deve vender suas cotas em bolsa de valores. Assim sendo, ao liquidar, o investidor somente vende suas cotas a outro investidor, de modo que o capital continua dentro do próprio fundo.

Sobre a taxa de administração, o BOVA11 se destaca por apresentar uma baixíssima taxa de somente 0,10% ao ano, livre de taxas de performance.

A estratégia do BOVA11

Conforme mencionado, o BOVA11 replica a performance do Índice Bovespa. Dessa forma, seu rendimento tende a ser muito parecido com os movimentos do IBOV.

O ETF atua por meio de uma estratégia de gestão passiva, ou seja, no BOVA11 não há um gestor especializado que escolhe ativamente papéis para compor a carteira do fundo. Em outras palavras, a gestão do fundo se resume a comprar os papéis presentes no IBOV, na mesma proporção do portfólio do índice.

Dessa forma, não há espaço para investir em ações que não pertencem ao Ibovespa.

Como consequência de sua gestão passiva, o ETF entrega aos investidores uma estratégia de investimento diversificado por meio de uma estrutura de baixo custo.

Quais ativos compõem a carteira do BOVA11?

A carteira do BOVA11 é composta pelos mesmos ativos que se encontram presentes no Índice Bovespa. Como principais alocações estão os seguintes ativos:

  • VALE3
  • PETR4
  • ITUB4
  • BBDC4
  • B3SA3
  • PETR3
  • ABEV3
  • HAPV3
  • WEGE3
  • ITSA4

As ações presentes no portfólio do BOVA11 tendem a ser presentes em uma porcentagem similar à sua proporção no próprio índice Bovespa.

Ao observar a carteira do BOVA11, assim como o Índice Bovespa, nota-se que ela é, majoritariamente, composta por empresas de commodities e por empresas de grande porte do setor financeiro nacional.

É interessante destacar ainda que o BOVA11 tem uma performance que reflete apenas a média do Ibovespa. Portanto, podem existir múltiplas empresas, não presentes no BOVA11, com desempenho altamente superior ou inferior ao apresentado na carteira do ETF.

Vantagens do BOVA11

A principal vantagem do BOVA11 é proporcionar aos investidores diversificação por meio de baixo custo. Inicialmente, ao adquirir apenas uma ação do BOVA11, os investidores podem se expor em mais de 20 empresas de grande consolidação.

Afinal, as empresas que compõem o Índice Bovespa estão entre as maiores e mais fortes do Brasil. Como resultado, os investidores tendem a confiar na capacidade dessas empresas de gerar lucros e permanecer lucrativas no longo prazo.

Além da ampla diversificação, há uma estrutura de baixo custo. Com taxa de administração de 0,10% ao ano e estratégia passiva, o BOVA11 conseguiu superar vários fundos de gestão ativa no longo prazo.

Desvantagens do BOVA11

O BOVA11 possui como uma de suas principais desvantagens uma ineficiência tributária no que se refere aos dividendos pagos pelas ações que compõem a carteira do fundo.

Atualmente ETFs brasileiros não distribuem dividendos ao cotista, eles são reinvestidos nas próprias ações que compõem o BOVA11.

Isso representa uma desvantagem em termos de retorno, pois dividendos pagos diretamente pelas ações são isentos de imposto de renda. Já nos ETFs, dado que são incorporados ao valor da cota, a venda é tributada sobre o lucro.

Nesse sentido, o investidor tende a pagar imposto de renda, parcialmente, sobre os dividendos, que vindos diretamente de ações seriam isentos.

Em seguida, ainda em termos de retorno, tem-se uma desvantagem relacionada à gestão passiva, que se trata do retorno somente à média do mercado. O investidor tende a ter um retorno mediano que, potencialmente, poderia ser mais elevado com a escolha ativa de investimentos para sua carteira.

Por fim, uma desvantagem presente no BOVA11 se trata da elevada concentração em dois principais setores da economia brasileira: financeiro e commodities.

Dado que o BOVA11 é concentrado em ambos os setores, seu desempenho se torna mais sensível ao movimento das empresas desses setores.

Como comprar cotas do BOVA11?

O processo de compra das cotas de BOVA11 é bastante simples. Em primeiro lugar, é necessário recorrer a uma corretora de valores para negociar os ativos.

Com o dinheiro na conta, o investidor já pode acessar o home broker e começar a operar. Para isso, ele deve inserir o código de negociação BOVA11 e preencher os dados básicos referente a quantidade e preço.

Uma vez inserido a quantidade desejada e o preço pelo qual se deseja comprar o ETF, basta enviar a ordem para execução e, por fim, conferir se a mesma foi completamente executada.

Uma dica para acelerar o processo de execução integral de uma ordem é realizá-la no mercado.

Para isso, basta selecionar a opção “ordem a mercado” e o sistema da corretora irá, automaticamente, realizar a compra dos ativos conforme a melhor oferta disponível no instante em que a ordem for emitida.

O BOVA11 paga dividendos?

Não! Assim como os demais ETFs listados na bolsa brasileira, o BOVA11 não distribui dividendos aos seus cotistas.

Dado que as ações que compõem seu patrimônio, frequentemente, pagam dividendos, os proventos são reinvestidos nas ações do próprio fundo, seguindo sua proporção adequada.

Com base no reinvestimento dos dividendos nas ações do próprio fundo, as cotas do fundo tendem a se valorizar. A partir disso, apesar de não receber os dividendos em si, o cotista tende a auferir maiores lucros com a valorização de suas cotas de BOVA11.

Diante disso, é importante frisar que o BOVA11 não é um instrumento útil para compor uma carteira com foco em receber dividendos.

O BOVA11 possui imposto de renda?

Sim! Tanto o BOVA11 quanto os demais ETFs listados no ambiente de negociação da B3 possuem a cobrança de imposto de renda (IR).

O IR incide apenas sobre o lucro da venda das cotas, não sobre o valor total. Portanto, os investidores pagam apenas IR pelo ganho de capital nas operações do BOVA11 .

Quando a compra e a venda das cotas são feitas no mesmo dia (Day Trade) ocorre a tributação de 20% sobre o lucro gerado. Já quando a compra e a venda das cotas são feitas em dias diferentes (Swing Trade) é aplicada uma alíquota de 15% sobre o lucro.

Cabe destacar que tanto o BOVA11 quanto os demais ETFs da bolsa brasileira não desfrutam da isenção de IR nas vendas com montante abaixo de R$20 mil por mês. Nesse caso, a isenção é válida somente para ações.

Por fim, vale lembrar que o cálculo, a cobrança e o pagamento do IR são de inteira responsabilidade do investidor. Portanto, os percentuais acima não são retidos na fonte como no caso de investimentos de renda fixa.

Portanto, o investidor deve, por contra própria ou por meio de uma consultoria contábil, calcular seu lucro e o imposto de renda devido. Em seguida, ele deve separar o valor do imposto e pagar o tributo através da guia DARF, que é um “boleto de impostos” destinado à renda variável.

Mural de discussão

Se a sua dúvida é sobre algum ativo, pesquise-o na caixa de busca e verifique se a sua dúvida já foi respondida por algum membro da comunidade.