Escrito por:

Marjoel Moreira

A GOL (GOLL4) divulgou nesta quinta-feira (28), seus resultados do 2T2022.

A Gol reportou prejuízo de R$ 2,85 bilhões, revertendo o lucro obtido no 2T21 de R$ 642,9 milhões.

Este resultado representa um prejuízo por ação de R$ 6,80.

A receita operacional líquida no 2T22 foi de R$ 3,24 bilhões, 215% superior a receita do 2T21 e 3,2% superior a do 2T19. As receitas auxiliares somaram R$ 246,4 milhões, representando alta de 75% comparado ao 2T21.

No 2T22, a liquidez total da Gol (caixa e equivalentes de caixa, aplicações financeiras, depósitos e contas a receber) foi de R$ 4 bilhões.

A relação dívida líquida ajustada sobre EBITDA recorrente foi de 9,5x em 30/06/22. O prazo médio de vencimento da dívida de longo prazo da Companhia no 2T22, excluindo os leasings de aeronaves e os bônus perpétuos, é de 2,9 anos. A taxa média da dívida em Reais aumentou para 18,3%, e nas obrigações em USD$, excluindo leasings de aeronaves e bônus perpétuos, se manteve em 6,6%..

A Gol confirmou o crescimento da demanda corporativa e transportou 5,8 milhões de passageiros no trimestre, mais do que o dobro do 2T21, porém ainda 30% abaixo do volume do 2T19.

A retomada da demanda resultou em yield médio por passageiro de R$ 0,43, recorde na Gol e um crescimento de 66% sobre 2T21.

Os resultados operacionais melhoraram, com o EBIT recorrente em R$ 50,8 milhões (margem de 1,6%) e o EBITDA recorrente em R$ 439,0 milhões (margem de 13,5%, positiva pelo terceiro trimestre consecutivo).

A Gol recebeu três novas aeronaves Boeing 737 MAX-8 no trimestre e totalizou 34 (24% da frota atual), contribuindo para maior eficiência de custos e menos emissões de carbono.

Fique por dentro dos resultados do 2T2022, acesse aqui a agenda de resultados.


Clique aqui para entrar no nosso canal do Telegram e ter acesso aos nossos conteúdos em primeira mão.