O valor em (VaR) é um método utilizado para avaliar o nível de risco em operações financeiras, um dos principais métodos utilizados atualmente.

Saber o quanto arriscado pode ser uma determinada operação financeira é importante para entender qual será o seu potencial de retorno.

Vale destacar que, apesar do alto risco estar relacionado a um alto potencial de retorno, nem sempre essa correlação é verdadeira, sendo necessária uma análise profunda sempre.

O que é Valor em risco (VaR)?

O Valor em risco (VaR), do inglês Value at Risk, foi desenvolvido para avaliar o nível de risco a que cada operação financeira está sujeita.

Essa medida é importante, pois quanto maior o risco inerente de um investimento, maior tende a ser o seu retorno esperado, ao passo que o oposto é verdadeiro.

Vale destacar que muitas coisas influenciam o risco de um investimento, desde fatores macroeconômicos até questões subjetivas.

Cálculo do Valor em risco (VaR)

O cálculo do Valor em risco (VaR) pode ser feito de duas formas diferentes, são elas o VaR paramétrico e o VaR não paramétrico, que usa como base os retornos da empresa.

Já quanto ao VaR paramétrico, é necessário utilizar uma fórmula, que é a seguinte:

VaR = |R - z?|V.;

O R é o retorno esperado, o Z é um valor correspondente para um nível de significância, o ponto de interrogação é um desvio padrão de rentabilidade e o V é o valor do investimento.

Vantagens do Valor em risco (VaR)

As principais vantagens de se utilizar o Valor em risco (VaR) são as seguintes:

  • Visualização dos possíveis riscos nas operações no mercado financeiro; 
  • Possui fácil compreensão, graças às fórmulas e porcentagens nos cálculos;
  • Aplicabilidade, sendo possível usar em quase todos os ativos;
  • Facilmente aceito na compra, venda e recomendação de ativos; 
  • Desde os anos 80 como uma das melhores ferramentas de manejo de risco do mercado.

Vale destacar que o VaR possui um alto nível de confiabilidade, sendo usado por empresas e pessoas físicas que querem um método confiável de mensurar os riscos.

Por conta disso, esse método tornou-se o mais utilizado no mercado, virando um padrão, ainda mais porque qualquer pessoa ou instituição é capaz de utilizá-lo sem dificuldades.

Outros métodos de avaliação de risco

Existem no mercado outros métodos de avaliação de risco, que, por melhores que sejam, não recebem a mesma atenção do VaR.

São eles:

  • Back Test: baseado no uso de dados históricos relevantes para tentar prever as flutuações futuras;
  • Expected shortfall: geralmente utilizada como uma adição ao VaR, ou como um VaR aprimorado, procurando responder qual seria a perda média acima do VaR;
  • Stress Test: busca compreender como um ativo poderia ser afetado caso ele fosse exposto a diferentes cenários.

Para o investidor que gostaria de fazer uma avaliação mais completa sobre os seus investimentos, conhecer esses outros métodos podem ajudá-lo em sua compreensão.

Por fim, é importante lembrar que o nível de risco de um ativo é apenas um dos dados que devem ser analisados, podendo inclusive não ser o mais importante.

Veja outros termos do mercado financeiro:

Mais acessados