O que é Fundo Cambial?

É de amplo conhecimento dos investidores a importância de estar exposto às moedas estrangeiras para fins de diversificação. Isso acontece devido ao fato de o Brasil ser um país em desenvolvimento e, por isso, apresentar uma economia instável.

Dessa maneira, o Real é uma moeda que perde destaque no cenário econômico mundial, o que torna o investimento em moeda estrangeira uma necessidade, o que funciona como uma espécie de camada de proteção à carteira dos investidores.

Uma das melhores formas de se expor às moedas internacionais, como o dólar, libra ou o euro, é por meio de aporte em um Fundo Cambial, já que a rentabilidade dessa modalidade de investimento está conectada com a variação cambial.

Em um Fundo de Investimento, o objetivo central é reunir capital de investidores, os quais irão adquirir cotas para participar da valorização desse fundo. Há também um gestor, responsável por gerir e administrar os recursos captados e acumulados do fundo, de modo a obter a maior rentabilidade possível para seus cotistas.

Em um Fundo Cambial, o funcionamento é exatamente como o descrito acima. Contudo, vale pontuar que o gestor não aplica investimentos da moeda em si, com a compra e venda de dólares e euros, por exemplo, uma vez que o investimento é feito por meio da compra de títulos atrelados ao câmbio.

Para que o fundo seja considerado com cambial, é preciso que 80% do capital captado por ele esteja aplicado em moedas estrangeiras, sendo que o restante pode ser aplicado em títulos de Renda Fixa.

É importante mencionar que os aportes e resgates em Fundos Cambiais são feitos em moedas domésticas sempre, ou seja, em Real, independente de qual moeda estrangeira o fundo estiver exposto.

O público que costuma ser atraído pelos Fundos Cambiais é composto de investidores que visam extrair um resultado positivo com as oscilações de moedas estrangeiras no mercado doméstico, ou seja, colocar uma camada de proteção e diversificação na carteira dos investidores.

O grande benefício desses fundos é a possibilidade de terceirizar o controle do investimento, mediante a intervenção de um gestor, o que permite tranquilidade aos investidores em acompanhar o mercado.

Para isso, o investidor será obrigado a pagar esse serviço através da taxa de administração do fundo. Há ainda o custo de Imposto de Renda, de acordo com a tabela regressiva em ganhos de capital. Ainda, há a incidência na cobrança do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) nas aplicações com menos de 30 dias.

Apesar do conforto, prever os movimentos cambiais é extremamente complexo, o que pode reduzir ganhos no curto prazo. Se esse investimento fizer sentido ao investidor, é necessário que a pessoa interessada se informa mais sobre determinado Fundo Cambial, especialmente sobre o seu objetivo, rentabilidade histórica, política de atuação e investimento, bem como taxas de administração e performance, sem esquecer da tributação e valor mínimo de entrada.

Para quem vai viajar ao exterior, tem negócios ou parceiros comerciais em países estrangeiros ou aqueles que desejam obter retornos com a variação do câmbio, o investimento em Fundos Cambiais pode ser uma ótima opção.

Mural de discussão

Se a sua dúvida é sobre algum ativo, pesquise-o na caixa de busca e verifique se a sua dúvida já foi respondida por algum membro da comunidade.