Fatores econômicos podem influenciar algumas empresas mais do que outras. Por isso existe a classificação de consumo cíclico e consumo não-cíclico.

Existe uma grande diferença entre empresas de consumo cíclico e empresas de consumo não-cíclico, todavia, o público em geral não compreende essas definições.

Saber como funcionam as empresas que pertencem a cada uma destas classificações, pode ajudar tanto o consumidor quanto o investidor.

O que é o consumo não-cíclico?

O consumo não-cíclico acontece quando as pessoas continuam consumindo determinados produtos ou serviços independente das condições econômicas do país.

Isso significa que mesmo que esses produtos ou serviços encareçam, a sua demanda será pouco alterada, pois os consumidores dependem desses produtos e serviços.

Produtos ou serviços de consumo não-cíclico geralmente possuem pouco valor agregado, baixo nível de industrialização e são essenciais para o dia-a-dia das pessoas.

Exemplos de empresas de consumo não-cíclico

Alguns exemplos de setores da economia e tipos de empresas que são classificados como consumo não-cíclico, são as seguintes:

  • Empresas do ramo de alimentos e bebidas;
  • Empresas de produção, distribuição e comercialização de energia elétrica;
  • Empresas do setor agrícola.

O setor de eletricidade e alimentos e bebidas é essencial, pois em uma sociedade moderna as pessoas não só não podem ficar sem comida, como também sem energia.

Já em relação ao setor agrícola, esse tipo também é de consumo não-cíclico pois produz matéria-prima utilizada na confecção de diversos produtos de baixo valor.

Na verdade, a própria matéria-prima da colheita que pode ser comercializada como alimento, é em si um produto de baixo valor agregado.

Vantagens de empresas de consumo não-cíclico

Empresas de consumo não-cíclico possuem algumas vantagens que são interessantes de serem analisadas por um investidor ou por um consumidor.

A primeira delas é a resiliência. Porque a menos que o país seja abandonado pela sua população ou devastado, as pessoas vão continuar consumindo produtos essenciais.

O segundo ponto é a escalabilidade. Por se tratarem de produtos ou serviços pouco industrializados, é muito fácil aumentar a base de consumidores rapidamente.

A terceira vantagem diz respeito à economia de investimento para produzir produtos de consumo não cíclico. Não é necessária uma longa cadeia de produção.

Empresas de consumo não-cíclico são demandadas pelos consumidores ao longo do ano inteiro, portanto, a única coisa que poderia afetá-las, é uma má administração.

O fato é que independente do ramo de negócio, empresas que têm uma organização ruim e são mal geridas podem sofrer prejuízos. 

Consumo não-cíclico e consumo cíclico

Por fim, se existe o consumo não-cíclico, também existe o consumo cíclico que, como o nome implica, funciona de forma contrária ao primeiro.

Empresas de consumo cíclico são altamente dependentes de condições econômicas favoráveis ou da natureza, que podem variar bastante.

Um exemplo bem comum são as empresas do setor aéreo. Se o país não estiver com a economia aquecida, as pessoas não irão voar de avião, ou mesmo viajar.

Portanto, empresas de consumo cíclico são altamente afetadas por crises econômicas ou de abastecimento de matéria prima, por conta de seus itens que são industrializados.

Veja outros termos do mercado financeiro:

Mais acessados