5 dicas fundamentais para iniciantes na bolsa de valores

5 dicas fundamentais para iniciantes na bolsa de valores

Você pode aprender errando, ou através de bons ensinamentos.

Errar faz parte de viver e faz parte também de investir. O grande problema é que um erro no mundo dos investimentos significa perder dinheiro.

Não existe uma fórmula mágica que mitiga todos os erros, pois eles fazem parte do aprendizado. Ainda assim, existem boas dicas que podem te auxiliar a evitar erros frequentes e muitos perigosos.

Pensando nisso, montamos esse artigo com 5 dicas fundamentais para iniciantes na bolsa de valores, sob a perspectiva fundamentalista.

Neste artigo, você aprenderá:

  • Saiba a importância de conhecer seu perfil
  • Como escolher boas empresas
  • Gerencie seu patrimônio
  • Por que você deve esquecer a cotação
  • Como se proteger das crises no mercado

SAIBA A IMPORTANCIA DE CONHECER SEU PERFIL

Existem muitas perguntas no mundo dos investimentos para as quais só você tem a resposta. Isso pode soar como psicologia barata, mas é apenas lógica básica.

Investir em ações é um exercício psicológico tremendo não só pelo dinheiro envolvido, mas pelos sonhos que ele pode representar. Logo, quando a bolsa cai, você pode sentir na pele a dor do seu futuro indo embora.

Mas isso é só seu psicológico falando. Flutuações nos preços são características momentâneas do mercado de renda variável.

Se o percentual do seu patrimônio destinado para as ações for maior do que você aguenta em termos de flutuação financeira em sua carteira, você estará com grandes chances de ter prejuízos vendendo nos piores momentos.

Veja o seguinte gráfico demonstrando a queda na bolsa no chamado "Joesley Day":

Queda bolsa joesley day brasil ibovespa volatilidade

Durante uma crise e uma queda brusca, pode parecer o fim do mundo. Algo deve ser feito já que o cenário mudou, certo?! Não. Esse é só o efeito irracional do pânico falando mais alto.

Agora vamos colocar esse evento que marcou o mercado financeiro em perspectiva. Observe como a bolsa se comportou durante os próximos meses:

Queda bolsa em perspectiva longo prazo joesley day

É tudo uma questão de perspectiva. Às vezes a bolsa anda de lado, tem períodos fortes de queda... mas ao longo do tempo a bolsa só tem um caminho: para cima.

Por isso, é fundamental que você saiba seu perfil e sua aptidão a essas variações que podem parecer definitivas.

Não coloque um dinheiro que você não pode perder na bolsa. Caso contrário, sua racionalidade pode ser prejudicada em momentos de crise.

Como muitas coisas na vida só sabemos na prática que cada investidor reage de um modo, é prudente que você vá aumentando sua posição devagar na bolsa para saber de fato qual o seu perfil. Um passo de cada vez.

COMO ESCOLHER BOAS EMPRESAS

Seu maior aliado ao investir é o tempo. Porém, é válido considerar que ele tem um efeito potencial elevado sobre boas empresas. Empresas boas, tendem a prosperar.

No longo prazo, a cotação tende a seguir o valor das empresas. A partir do entendimento dessa premissa, temos a poderosa análise fundamentalista.

Para descomplicar sua análise na busca de valor nas ações, criamos o checklist fundamentalista.

Checklist fundamentalista governança crescimento lucratividade endividamento analise de acoes

Essa ferramenta é gratuita e está disponível em nosso site na área de análises.

É válido mencionar que esses itens não são garantias de que a empresa em questão é capaz de gerar efetivamente valor para os investidores.

Se quiser aprender mais sobre a visão de longo prazo, leia esse artigo: Aprenda o que é e como fazer Buy and Hold: a estratégia fundamentalista usada pelos investidores mais ricos do mundo.

GERENCIE SEU PATRIMÔNIO

Onde você quer chegar? Essa pergunta só você pode responder.

Existem milhões de motivos para se investir. E todos esses motivos, invariavelmente dependem de um gerenciamento de patrimônio adequado para o êxito no longo prazo.

O primeiro passo para prosperidade financeira reside no controle financeiro pessoal.

Considere o seguinte exemplo: Steve, um investidor hipotético, estudou bastante e escolheu boas empresas com o dinheiro que tinha guardado. Logo, montou sua carteira com R$ 10.000.

Investidor hipotetico steve sem reserva de emergencia

Ele cometeu uma atitude inteligente de gerenciamento de patrimônio, a escolha de boas empresas. No entanto, cometeu um erro muito pior: colocou dinheiro na bolsa antes de ter dinheiro para emergências.

Após alguns meses, por uma casualidade infeliz da vida, ele é demitido de sua própria empresa. Pra piorar, o mercado não está muito bom. Devido a volatilidade, seu patrimônio atualmente na bolsa é de R$ 8.800.

Seu patrimônio diminui por que ele não soube escolher boas empresas? Não. As empresas listadas na bolsa, independente se boas ou ruins, estão suscetíveis a variações aleatórias na cotação no curto prazo.

Renda variável varia para cima, ou pra baixo, sobretudo no curto prazo. Por mais óbvio que isso possa ser, às vezes nos esquecemos. E não existe lógica nem previsibilidade em oscilações de curto prazo.

Voltando ao exemplo, lembre-se de que o nosso amigo investidor Steve só tem o dinheiro investido na bolsa como patrimônio. Nesse cenário, é obrigado a resgatar o investimento com um prejuízo significativo para pagar suas contas.

Ninguém está imune a casualidades do tipo, seja nosso hipotético investidor Steve, seja você, seja eu... Todos estamos suscetíveis à emergências.

A reserva de emergência é um dinheiro guardado com liquidez imediata e suficiente para sanar seus custos por 6 meses. Ela é apenas um dos pilares do gerenciamento de patrimônio.

A maior parte do seu resultado financeiro do longo prazo se deve a uma adequada gestão de capital e risco. Isso envolve uma série de decisões racionais ao longo do tempo.

Algumas podem ser pontuais e devem ser sanadas antes de se aprofundar na bolsa, como é o caso das dívidas.

Você não estará investindo verdadeiramente enquanto tiver dívidas. A dívida é um passivo financeiro gigantesco, que corrói seu patrimônio em uma velocidade muito maior do que os juros dos seus investimentos.

O melhor investimento para o patrimônio de quem tem dívidas é se livrar delas o quanto antes. E não tente ir atrás de "investimentos" com retornos de curto prazo maiores do que as dívidas.

Importante: Não confunda investimento com especulação. O investimento é racional e voltado para o longo prazo. A especulação é baseada em opinião. Não vire um "torcedor" de manobras financeiras duvidosas.

Decisões racionais, como reserva de emergência, quitar as dívidas antes de investir, guardar dinheiro mensalmente e escolher boas empresas são os pilares do gerenciamento inteligente de patrimônio.

Por isso, não invista na bolsa antes de ter um plano inteligente que envolva o gerenciamento do seu precioso patrimônio.

Gerenciar patrimônio nem sempre é sobre como agir. Muitas vezes é o contrário. O foco é crescer o patrimônio, não movimentá-lo constantemente.

Esqueça os analistas, as previsões, o mercado que pulsa dizendo que está na hora de comprar ou vender. Todos esses fatores são os seus maiores inimigos no que se trata de gerenciamento de patrimônio.

A gestão do patrimônio deve ser racional e com o foco no longo prazo. Vamos falar mais sobre isso no próximo tópico desse artigo.

ESQUEÇA A COTAÇÃO

Se já viu a cotação da bolsa hoje, tudo bem. Se não viu, nem perca seu tempo.

Os jornais, a TV, investidores "especialistas" do mercado e até mesmo teus amigos podem não estar do seu lado quando se fala de investimentos, sobretudo em renda variável. Eles te sabotam ao te perguntar constantemente da cotação.

A famosa vontade de olhar a cotação vem de um instinto humano primitivo, aliado a uma cultura de constante consumo e mudança. Essa lógica não te ajuda e não funciona no mundo dos investimentos.

Pense na seguinte frase "Uma mulher grávida dá à luz em nove meses, mas nove mulheres grávidas juntas não tem um bebê em um mês".

Ou seja, não adianta o que você faça, algumas coisas levam tempo. Ganhar dinheiro na bolsa é justamente uma dessas coisas.

O "racional" por trás de olhar a cotação é o seguinte: medir a rentabilidade é uma forma de verificar se os investimentos estão trazendo retornos satisfatórios.

Essa lógica deturpada é o que estimula os investidores a venderem seus investimentos na baixa. Por essa lógica, o que está no topo tende a ser uma boa recomendação, a "oportunidade" do momento.

Quem opera notícia compra quando as ações estão no topo. Quando ficam ruins, vendem no fundo. Perder tempo olhando cotação é também um excelente modo de sabotar seus ganhos. Observe o gráfico a seguir:

Tempo fora da bolsa e retorno prejudicado no longo prazo

Na imagem temos colunas que relacionam os dias deixados de investir com seu impacto sobre o retorno efetivo. 10 dias fora da bolsa são suficientes para diminuir seu retorno em 50%.

Perceba como ficar fora da bolsa por conta de preocupações com a cotação pode ser desastroso para o seu patrimônio, justamente por conta de valorizações enormes e repentinas que ocorrem.

O que mais potencializa os juros compostos do seu patrimônio é o tempo investido.

Rebalancear a carteira vendendo ativos que mais se valorizaram é como retirar as flores e regar as ervas daninhas.

Seu foco, como investidor, deve ser no valor. Não no preço, não na cotação, não no fechamento. Enriquecer pode ser tedioso por ser devagar, mas é assim que funciona.

Não estamos dizendo para você deixar de acompanhar os balanços e o desempenho dos resultados. Tenha sua estratégia, execute-a e a monitore, mas não diariamente.

Seu foco diário deve ser no seu aprimoramento como profissional. Se você escolheu boas empresas, deixe seu dinheiro quieto trabalhando por você. Esqueça as manchetes, as capas de revista, os holofotes, os ruídos.

Então, na próxima vez que te perguntarem "Você viu o mercado hoje?" você saberá o que responder.

COMO SE PROTEGER DOS PIORES CENÁRIOS

Dica: não é através das previsões que você vê por aí.

O tempo todo os analistas estão por aí fazendo previsões, rodando mil cenários e recomendado o que você deve fazer.

Sim, é possível que alguém tenha acertado uma previsão, mas não é através delas que você deve se proteger. Diante dessas milhares de perspectivas, alguma teria que estar certa.

Não dá para saber o que é fato até que o mesmo vire realidade. O preparo para as crises não é feito durante as crises.

Ao considerar os pontos que abordamos neste artigo, certamente você já estará meio caminho andando com seus investimentos diante de um cenário de adversidade.

Em suma, lembre-se:

  1. Saiba seu perfil de risco
  2. Gerencie com disciplina seu patrimônio
  3. Foco no valor, não no preço
  4. Não se preocupe com a desvalorização momentânea

CONCLUSÃO

Se quiser continuar aprendendo para tomar as melhores decisões de investimento, recomendamos os seguintes artigos:

Caso este artigo tenha sido útil a você, pedimos somente que compartilhe com pessoas queridas e que continue acompanhando o Análise de Ações. Em caso de dúvidas, basta deixar nos comentários.