Guia completo sobre dividendos, aprenda o que são, como usá-los e qual sua relevância para quem investe visando longo prazo

Guia completo sobre dividendos, aprenda o que são, como usá-los e qual sua relevância para quem investe visando longo prazo

O dividendo é a parte do lucro da empresa que é distribuído aos acionistas. Quanto mais ações, mais dividendos o investidor terá direito a receber.

Não importa há quanto tempo você invista ou o tamanho do seu patrimônio, uma coisa é certa: você precisa dominar o conceito de dividend

E acredite, existem mais inverdades sobre dividendos por aí do que você pode imaginar. Entender bem a dinâmica por trás desse recorrente tema pode evitar que você cometa inúmeros erros ao investir.

Será que você realmente sabe o que são dividendos e sua importância sobre seus investimentos? Ou melhor, será que te venderam um futuro utópico baseado no milagre dos dividendos?

Para acabar com essas e outras dúvidas, fizemos um guia super completo sobre dividendos que vai te orientar na sua jornada para o sucesso financeiro.

Este artigo tem como intuito auxiliar você, pequeno investidor, que deseja investir no seu futuro e sabe que esse caminho deve ser trilhado através do aprendizado.

Neste artigo, vamos abordar:

  • O que são dividendos
  • Como é feito o pagamento
  • Por que empresas pagam dividendos
  • Saiba como identificar empresas que pagam mais dividendos
  • O erro mais frequente relacionado com dividendos
  • O conto de fadas dos dividendos
  • Como usar os dividendos para atingir sua independência financeira

O QUE SÃO DIVIDENDOS

Antes de nos aprofundar sobre o tema, é importante que você entenda bem o conceito por trás da origem dos dividendos e o funcionamento do mercado de ações.

O mercado de ações é uma maneira eficiente para as empresas captarem o dinheiro necessário para investir em seus negócios e alcançar seus objetivos. Em contrapartida, é uma maneira democrático para os investidores participarem dos resultados da companhia.

Investidor segurando dinheiro

E os dividendos nada mais são do que partes dos resultados (lucros) de determinada empresa repassados aos acionistas. Mas atenção: eles não são um presente! Na verdade, eles tem um efeito sobre a cotação após o pagamento, falaremos sobre isso mais a frente nesse artigo.

COMO É FEITO O PAGAMENTO

Como os dividendos são partes dos resultados das empresas, eles só serão distribuídos caso a empresa lucre em determinado período. Em caso de lucro, o conselho da empresa decide o quanto será distribuído aos acionistas.

Quanto menos dividendos pagar, pode significar que a empresa pretende fazer um reinvestimento em suas atividades para estimular seu crescimento. Falaremos mais sobre os tipos de empresa e sua distribuição de dividendos mais à frente neste artigo.

Os dividendos são isentos de tributação e são pagos em dinheiro diretamente na conta do investidor na corretora proporcionalmente à quantidade de ações que o investidor possui.

Para saber o quanto será distribuído de dividendos por ação, basta acessar a página da empresa aqui no site e descer até a sessão de proventos. Observe o do Itaú Unibanco (ITUB3):

Próximos proventos itub Itaú Unibanco

Para saber quanto você terá direito a receber é simples! Basta multiplicar o valor anunciado pela quantidade de ações que você possui que terão direito a receber o provento.

Por exemplo, se você tiver 1.000 ações poderá receber 1.000 x 0,015, ou seja, R$ 15. Pode não parecer muito dinheiro, mas pense que quantos mais ações você tiver mais dividendos poderá receber!

Verifique também na imagem anterior que temos em destaque a "Data com", essa é uma importante data relacionada com dividendos, pois determina quando o investidor terá direito ou não aos proventos.

Para saber mais sobre, recomendamos que leia o artigo: O que é data com e data ex e sua importância para os investidores de longo prazo.

Não existe um período definido para o pagamento de dividendos. Cada empresa define o seu, podendo ser por mês, trimestre, semestre, anual ou aleatoriamente.

POR QUE EMPRESAS DISTRIBUEM DIVIDENDOS

No Brasil, devido a Lei das S/A, existe a obrigatoriedade da distribuição de dividendos pelas empresas que lucram e não definem em seu estatuto sua distribuição de dividendos.

Por exemplo, o Carrefour (CRFB3) define a distribuição mínima do seguinte modo:

Distribuicao proventos carrefour

Sendo assim, é definido em estatuto que o carrefour vai distribuir pelo menos 0,1% em dividendos. No entanto, é importante ressaltar que esse é apenas o valor mínimo e, no último ano, o Carrefour distribui bem mais dividendos proporcionalmente ao seu lucro.

Na prática, grande parte das empresas adotam o valor mínimo de 25% do lucro líquido a ser distribuído aos acionistas, via convenção de mercado - mas isso, conforme falamos, pode variar.

Mas o que leva uma empresa a distribuir mais ou menos dividendos?

Empresas podem oferecer mais dividendos como maneira de atrair investidores, a depender do setor e da maturidade da empresa, por exemplo

SAIBA COMO IDENTIFICAR EMPRESAS QUE PAGAM MAIS DIVIDENDOS

Um método interesse para identificar se a empresa paga muitos ou poucos dividendos em relação ao seu lucro total é através do Payout.

O Payout é um indicador que se refere à porcentagem de lucros que a companhia distribui a seus acionistas.

Por exemplo, um payout mais baixo do que 25% pode ser um indicativo de que a empresa irá aplicar seus lucros para investir no próprio crescimento.

O Payout acima de 100% significa que a empresa está pagando mais dividendos do que lucra em sua atividade. Normalmente, é uma forma da companhia tentar recompensar os acionistas por conta de um resultado ruim.

Na prática, uma ação pode ou não ter um payout alto, mas isso pouco diz efetivamente sobre a qualidade da empresa - mas, pontualmente, pode evidenciar os efeitos práticos da visão dos gestores e da realidade da empresa no momento. Observe a imagem a seguir:

Tipos de empresa crescimento x dividendos fatia de mercado tempo payout

Normalmente, as boas empresas têm um trajeto natural que segue as etapas retratadas pela imagem.

Pode-se dizer que as empresas surgem por três principais motivos:

  1. Tentar resolver algum problema pouco explorado
  2. Crescer em um mercado já dominado pelos outros concorrentes
  3. Consolidar-se em um mercado pulverizado, como por exemplo o varejo

Um exemplo de crescimento é o da RaiaDrogasil, que atua em um setor onde ainda não há consolidação de um player grande, e é justamente o que essa empresa vem buscando fazer por meio de suas aquisições recentes.

Um outro exemplo de empresa de crescimento é o caso da Renner, que está em um setor pulverizado. Não é por que a empresa é de crescimento que ela não distribua também dividendos.

Além da distribuição de dividendos, outro importante componente da diferenciação entre empresas de crescimentos e de dividendos, refere-se à sua consolidação.

Empresas maduras de dividendos já tem seu posicionamento firmado, logo o nível de risco ao investir nelas pode ser menor. Para conhecer sobre mais sobre essas companhias citadas confira nossas análises gratuitas aqui no site.

Empresas de crescimento retêm a maior parte do lucro para financiar sua expansão e distribui o restante aos acionistas em forma de dividendos.

Quando uma empresa é boa, ela tende a crescer e se consolidar no setor, de modo que ela tende a se tornar uma empresa de dividendos, isto é, com um payout maior

Na imagem anterior, as empresas da ponta direita já estão consolidadas. Podemos citar como exemplo de empresa com bons dividendos: Ambev, Engie.

Atenção: fique sempre atento com relação à origem dos dividendos.

O ERRO MAIS FREQUENTE RELACIONADO COM DIVIDENDOS

O grande problema no que se diz respeito aos dividendos reside na confusão geradas por interpretações equivocadas sobre o tema.

Um grande erro é pensar que se a empresa paga muitos dividendos então ela é uma boa opção para se investir. Não é bem assim.

Uma dúvida comum relacionada é a seguinte: Se o dividendo é parte do lucro das empresas que é distribuído aos investidores, então quanto mais ela pagar melhor para os investidores? Não necessariamente.

Os investidores que gostam de dividendos devem ficar atentos à recorrência e qualidade da empresa em questão. Observe a manchete de 2012:

Manchete OI 2012

No mesmo ano, a Oi (OIBR3, OIBR4) estava no topo de pagamento de dividendos da bolsa.

Maiores pagadoras de dividendos em 2012

Um investidor desavisado que gosta de dividendos poderia ser facilmente levado a tomar uma decisão equivocada sobre a Oi ser uma boa pagadora de dividendos. Era algo extraordinário e pontual.

Se a origem desses dividendos não for sustentável, isto é, se a empresa não for boa e tiver fundamentos sólidos, o pagamento não se manterá no longo prazo.

Existem empresas ruins que pagam dividendos e boas empresas que não pagam dividendos. Logo, pautar sua análise apenas em dividendos com certeza não é uma estratégia sábia.

O mais importante não é a distribuição dos dividendos e sim se a empresa tem bons fundamentos. Boas empresas tendem a continuar distribuindo dividendos, já empresas ruins não continuam distribuindo.

O que remunera os sócios é o lucro da companhia, a empresa pode reter o lucro para investir, utilizá-lo para pagar as dívidas ou distribuir aos acionistas.

Por meio da análise fundamentalista, através de informações qualitativas e quantitativas, pode-se identificar de modo eficaz boas empresas para se investir visando o longo prazo.

Para sua sorte, já avaliamos todas as empresas em nosso site. Faça sua analise e compare com a nossa. Para descomplicar sua vida oferecemos avaliações que vão de 0 até 5 estrelas em nosso site:

Lista de empresas bolsa ranking analise de acoes

Para visualizar as empresas e suas análises completas, clique aqui: Análises.

O CONTO DE FADA DOS DIVIDENDOS

É muito comum que recomendações sem sentido sejam feitas por "especialistas" incentivando comprar determinada ação porque vai distribuir dividendos ou só porque é uma boa pagadora de dividendos.

Outro equívoco frequente é optar por ações preferenciais com base em um possível maior pagamento de dividendos. Explicamos em detalhes por que isso não faz sentido nesse artigo: Ações preferenciais (PN), ordinárias (ON) e Units: o que são, principais características, diferenças e benefícios.

O grande conto de fadas em torno de dividendos é considerá-lo como um presente ao acionista. Na verdade, se a empresa paga ou não dividendos isso não faz a menor diferença, pois os dividendos são descontados do preço da ação.

Mas por que os dividendos são descontados no preço da ação?

Antes de responder à pergunta, é importante compreender a razão de os dividendos serem descontados no preço da ação. Para explicar esse ponto, vou aproveitar uma metáfora bastante rural: imagine que você é um pecuarista e tem uma vaca que custa R$ 20.000,00.

Fazendeiro e a vaca leiteira

Alguns meses depois, seus empregados avisam que a vaca está prenha de um bezerrinho. Você concorda que, agora, o preço da vaca subiu um pouco? Afinal, o preço dela é composto pelo seu preço intrínseco (o preço da vaca), adicionado ao preço do bezerro.

Se o bezerro custar R$ 3.000,00, isso significa que o preço do conjunto, agora, é R$ 23.000,00. No dia em que a vaca o parir, o bezerro será retirado dela e, com isso, o preço da vaca cai de R$ 23.000,00 para os R$ 20.000,00 originais.

O mesmo ocorre com os dividendos.

Digamos que você tenha ações da Eletropaulo, cotadas a um valor de R$ 30,00 por ação. A empresa anuncia o pagamento de gordos dividendos no valor de R$ 3,00 por ação. Então na data ex, o preço da ação inicia o dia em R$ 27,00 por ação.

Caso ainda não esteja convencido, vamos dar mais um exemplo. Observe a cotação da BBSE3 antes e depois do pagamento de dividendos:

Preço ação antes e depois pagamento dividendos

Perceba que há uma diferença de R$ 1,91 ( 37,24 - 35,33 ). Adivinha quanto a empresa pagou de dividendo por ação??? O exato valor da diferença entre o valor da ação nas duas datas. É como tirar o dinheiro de um bolso e passar para o outro.

Dividendos não são brindes e nem um benefício extra que confere a determinadas empresas uma maior qualidade. Eles são descontados do preço da ação e retirados do caixa da empresa para distribuir aos sócios.

E no caso de haver diferença no pagamento de dividendos de uma empresa entre sua ação preferencial (PN) x ordinária (ON), isso se reflete no preço. Por exemplo, o Bradesco dá 10% a mais de dividendos em suas ações preferenciais (BBDC4), observe a cotação comparada:

Bradesco desempenho orginaria x preferencial

Por terem direito a receber um pouco mais de dividendos, as ações PN acabam custando um pouco mais caro do que as ON. Na prática, o mercado corrige os dividendos a mais e, portanto, não fazem diferença e não são de fato um benefício para os investidores.

Por isso, não se apegue a esses supostos benefícios. Como já mencionamos, a empresa pode pagar menos dividendos para investir no seu crescimento, ou pagar mais dividendos devido a uma menor projeção de crescimento.

Não raramente, uma empresa muda sua caracterísitcas no que se refere ao dividendos longo de sua trajetória e, no fim das contas, o que realmente importa é se a empresa tem bons fundamentos ou não.

O mais importante é avaliar se companhia gera efetivamente valor ao acionista.

COMO USAR OS DIVIDENDOS PARA ATINGIR SUA INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA

Uma estratégia muito difundida entre os investidores é baseada na escolha de ações para viver de renda passiva através dos dividendos.

O grande problema dessa estratégia não está no objetivo final, mas sim se o investidor retirar os dividendos durante o processo de enriquecimento. Como já explicamos, os dividendos são descontados do preço da ação.

Na prática, se ao longo dos anos você não reinveste seus dividendos, estará abrindo mão de parte significativa da valorização da empresa e isso faz muita diferença no longo prazo.

Observe a seguinte imagem, onde comparamos o retorno de um acionista que reaplicou versus outro que não reinveste seus dividendos

Dividendos reaplicados desempenho longo prazo

Sempre que possível, reaplique seus dividendos e demais proventos, pois isso fará muita diferença no longo prazo!

Não estamos dizendo para você não colher os frutos dos seus investimentos ao longo do tempo, só estamos alertando do efeito potencial sobre seu patrimônio, ocasionado pela retirada prematura dos dividendos.

Investir é um ato de disciplina, no qual abrimos mão de um bem no presente para um retorno maior no futuro. Isso não significa deixar de aproveitar o processo. A palavra de ordem é bom senso.

CONCLUSÃO

Se você é um investidor que gosta de dividendos, não há problema nenhum nisso. Nós do Análise de Ações acreditamos na importância de cada investidor tomar suas decisões com base na própria estratégia.

Para montar sua estratégia, é importante que você esteja munido com informações corretas. Nosso papel é te ajudar nesse processo descomplicando sua análise fundamentalista.

Se quiser continuar aprendendo para tomar as melhores decisões de investimento, recomendamos os seguintes artigos:

Caso este artigo tenha sido útil a você pedimos somente que compartilhe com pessoas queridas e que continue acompanhando o Análise de Ações. Em caso de dúvidas, basta deixar nos comentários.