Ações do setor Viagens e Lazer

O setor de viagens e lazer é bastante dependente de um cenário macroeconômico favorável, períodos nos quais há baixo desemprego e é composto por uma variedade de empresas, que atuam de forma direta e indireta sobre o segmento Ver mais

Conheça o setor Viagens e Lazer

Escrito por:

Marjoel Moreira

O setor de viagens e lazer é composto por uma variedade de empresas, que atuam de forma direta e indireta sobre o segmento.

Desse modo, o setor é representado por companhias que atuam nas áreas de:

  • Linhas aéreas;
  • Operadoras de programas de fidelidade;
  • Vendedoras / intermediadoras de pacotes de viagens nacionais e internacionais;
  • Setor hoteleiro;
  • Fabricantes de brinquedos e acessórios para lazer;
  • Promoção de eventos.

O setor de viagens depende de um cenário macroeconômico favorável, ou seja, de períodos nos quais há baixo desemprego. Para que as famílias tenham renda para custear suas viagens, pois o parcelamento é a forma mais comum de compra de passagens aéreas e pacotes de viagens.

Entretanto, é importante ter em mente que o setor é facilmente impactado, de forma negativa, em períodos de crise econômica, especialmente em situações de alto desemprego.

É comum observar nesse setor que as empresas apresentem perdas recorrentes ou lucratividade persistentemente baixa.

Setor de viagens e lazer na bolsa de valores

Na Bolsa de Valores brasileira, o setor de viagens e lazer é caracterizado pela presença de várias empresas de diferentes subsetores.

Por exemplo, listados na B3 podemos citar:

Existem empresas atuantes no Brasil que não estão listadas na B3, somente lá fora. É o caso da Latam, por exemplo, que atua no Brasil mas tem suas ações negociadas somente no exterior.

Vantagens do setor de viagens e lazer

Antes de mais nada, vale reforçar que o setor de viagens e lazer enfrenta dificuldade para obter resultados consistentes no longo prazo. Determinadas empresas, inclusive, possuem prejuízos devido a questões operacionais, ao passo que outras sofrem por conta da dificuldade em serem competitivas.

Sendo assim, este é um setor onde é difícil sustentar os lucros no longo prazo. No entanto, os investidores podem lucrar com ações em momentos específicos, dependendo do contexto econômico.

As empresas tendem a se beneficiar de momentos que trazem mais demanda pelos produtos ou serviços que oferecem. Por isso, uma das principais vantagens é se alinhar aos ciclos positivos que geram maior demanda por viagens, brinquedos, jogos, eventos ao vivo.

As empresas que estão mais aptas a se ajustar a este momento de condições favoráveis podem ver suas ações valorizando em um cenário de aumento da demanda.

Riscos do setor de viagens e lazer

Existem tanto riscos intrínsecos ao setor como riscos que contemplam apenas determinados tipos de companhias.

Como mencionado antes, as empresas se beneficiam de momentos nos quais a economia é favorável, com baixo desemprego e maior demanda por serviços e produtos relacionados ao lazer.

Em sentido contrário, em momentos de profunda crise econômica, o setor de viagens e lazer é um dos mais impactados já que oferece bens de consumo não essenciais.

Em complemento, ao abordar empresas aéreas, por exemplo, um dos principais riscos envolvidos se trata da elevada dependência de fatores externos. Linhas aéreas podem ser impactadas por questões como:

Regulamentação de preços de passagens aéreas e de bagagens;

  • Taxa de câmbio desfavorável, pois o combustível dos aviões é dolarizado e certas firmas possuem dívidas em dólar americano;
  • Taxas pagas aos aeroportos;
  • Manutenção de aeronaves.

Empresas no segmento de brinquedos também possuem grandes dificuldades em se manterem competitivas, principalmente em virtude dos elevados custos impostos.

Uma grande ameaça, em termos de competitividade, são os produtos de origem chinesa, que emergem no território nacional com um custo muito inferior ao produto brasileiro.

Simultaneamente, as empresas relacionadas à organização de eventos presenciais sofrem os riscos comuns ao setor de viagens e lazer. Afinal, eventos como shows, por exemplo, têm sua demanda reduzida em momentos de depressões econômicas.