Ações do setor Saneamento

As empresas de água e saneamento básico atuam na distribuição de água tratada e na coleta do esgoto, estão presentes em todas as etapas do processo de saneamento em uma determinada região. Ver mais

Conheça o setor Saneamento

Escrito por:

Marjoel Moreira

As companhias de saneamento atuam na distribuição de água tratada e na coleta do esgoto, estão presentes em todas as etapas do processo de saneamento em uma região. Algumas empresas de saneamento atuam no tratamento de resíduos sólidos, de maneira complementar ao fornecimento de serviços de saneamento básico.

A razão das empresas de saneamento dominarem todas as etapas deste setor em uma região específica, é porque a maioria das companhias atuantes em saneamento é estatal. As companhias estatais, geralmente, têm o monopólio do setor na região em que atuam.

As empresas de saneamento que são estatais, são propriedade do estado, ou seja, tem o estado como acionista majoritário, e tem o monopólio do serviço de fornecimento de água potável, da coleta, e tratamento de esgoto em suas respectivas regiões.

No entanto, o cenário de forte presença do estado no setor de saneamento poderá mudar no médio e longo prazo, devido à aprovação do novo Marco Legal do Saneamento Básico. Devido à nova legislação, empresas privadas poderão oferecer serviços relacionados ao saneamento, por meio de licitações.

Além disso, com a nova legislação, há espaço para a privatização das empresas públicas de saneamento. Assim, nos próximos anos o setor de saneamento pode ser dotado de uma maior competitividade.

Vale lembrar que, imediatamente após a aprovação da legislação, ocorreram leilões referentes ao saneamento em determinadas regiões que arrecadaram bilhões de reais em novos investimentos. Esse fato é extremamente relevante para generalizar o acesso ao saneamento básico no Brasil, já que, atualmente, uma parcela significativa da população brasileira não tem acesso à rede de saneamento.

No geral, a infraestrutura operada por empresas deste setor é composta por:

  • Estações de Tratamento de Água (ETAs);
  • Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs);
  • Tubulação para a condução de água potável e esgoto separadamente;
  • Instalações para o tratamento ou adequado armazenamento de resíduos sólidos (em casos de companhias que atuam com tal atividade, como a Sanepar).

Informações cruciais para investir no setor

Ao considerar o investimento em empresas de água e saneamento, existem diversos pesos e contrapesos a serem analisados.

O setor de água e saneamento é altamente perene. Mesmo em meio a uma eventual grande crise, a demanda por serviços de saneamento é pouco afetada, porque a população não vai deixar de utilizar os serviços por estarem relacionados às necessidades básicas diárias. A demanda por serviços de saneamento tende a ser perene, assim o setor tem previsibilidade de receitas e de investimentos que precisam ser realizados ao longo dos anos.

O setor de saneamento torna-se bastante atrativo para investidores com perfil conservador, que desejam entrar na bolsa de valores com o objetivo de maximizar os retornos, mas preservando o conservadorismo. Existem, inclusive, empresas que distribuem uma parcela constante de seu lucro líquido aos acionistas em forma de dividendos, como a Sanepar (ações SAPR3, SAPR4 e SAPR11). Dessa forma, as empresas de saneamento também podem ser adequadas para investimentos que visam lucro por meio de dividendos.

No entanto, existem certos riscos ao investir no setor de água e saneamento. Alguns deles tendem a ser contidos por meio do Marco Legal do Saneamento Básico, enquanto que outros são relacionados a causas climáticas e aos clientes das empresas em questão. Destacam-se, como principais riscos do setor, os seguintes:

  • Risco climático: Relacionado à possibilidade de crises hídricas (falta de chuvas e baixos níveis em reservatório), com potencial de gerar cenários de racionamento, elevação tarifária e, consequentemente, elevação de inadimplência;
  • Risco institucional: O setor de saneamento é altamente regulamentado e tem forte presença de empresas estatais. Logo, o Estado pode, eventualmente, atuar contra os interesses dos acionistas como, por exemplo, em cenários onde atua de modo populista e impede reajustes tarifários necessários para a viabilidade econômica de determinada companhia de saneamento. Além disso, com a penetração de empresas privadas no setor, o Estado pode atuar de forma prejudicial à sua viabilidade econômica através de regulamentações excessivas.
  • Risco de inadimplência: Analogamente às distribuidoras de eletricidade, as companhias de saneamento também sofrem com a possibilidade de atravessar períodos de inadimplência mais elevada. Geralmente, tais cenários se concretizam em momentos de crise econômica.

Sobre o risco de inadimplência, é necessário destacar que algumas companhias possuem políticas tarifárias especiais aos clientes de baixa renda, em prol de diminuir a inadimplência e de tornar os serviços mais acessíveis à toda a população. A Sanepar (tickers SAPR3, SAPR4 e SAPR11), por exemplo, possui o programa Tarifa Social.

O setor de água e saneamento na bolsa de valores

Na bolsa de valores brasileira, a B3, existem algumas companhias de saneamento listadas, nas quais o investidor pode realizar seus investimentos. Apesar de serem empresas de capital misto, o governo estadual, do respectivo estado em que cada uma delas está inserida, tem o controle sobre a administração da companhia. Isso porque o governo tem a posse da maioria das ações.

Temos as seguintes companhias de saneamento listadas na bolsa de valores brasileira:

Privatizações ocorrerão?

Já houve diversas sinalizações sobre desejos de privatizar companhias estatais de saneamento, entretanto o processo é altamente complexo devido à questões políticas.

A partir do Marco Legal do Saneamento Básico, empresas privadas poderão entrar no setor de saneamento. No entanto, a privatização de empresas públicas depende de fatores, apenas econômicos, para ocorrer. Apesar disso, as privatizações são de grande importância, a fim de reduzir os riscos de corrupção nas empresas de saneamento, assim como de permitir maiores investimentos, modernização e maior cobertura do saneamento básico para toda a população.

Em resumo, o investidor que deseja investir neste setor deve certificar-se de que concorda se expor as empresas com participação do Estado. No entanto, a tendência de longo prazo resume-se à grande possibilidade de empresas privadas atuarem no setor de saneamento, assim como à possibilidade de companhias estatais terem seu capital privatizado.