Ações Equatorial EQTL3

Equatorial Energia SA

A Equatorial Energia (ações EQTL3) é uma holding que atua no setor elétrico que desempenha a função de distribuição através da Equatorial Maranhão, Equatorial Pará, Equatorial Piauí e Equatorial Alagoas. A respeito da transmissão, a companhia possui projetos em estágio pré-operacional e uma linha operacional ativa, chamada Intesa, que cruza os estados de Tocantins e Goiás. Ver mais

Conheça Equatorial ações EQTL3

SEGMENTO Energia Elétrica

CNPJ

PÁGINA NA B3Ver site

FUNDADO

IPO

VALOR MERCADO

PÁGINA DE RIVer site

SITE OFICIALVer site

A Equatorial Energia (ações EQTL3) é uma holding que atua no setor elétrico. A empresa desempenha a sua função de distribuição através da Equatorial Maranhão, Equatorial Pará, Equatorial Piauí e Equatorial Alagoas. A respeito da transmissão, a companhia possui projetos em estágio pré-operacional e uma linha operacional ativa, chamada Intesa, que cruza os estados de Tocantins e Goiás.

A empresa também está no ramo de geração de energia, por meio da Termelétrica Geramar e no ramo da comercialização, com a Sol Energias.

Tudo começou em 1999, quando a empresa ainda se chamava Brisk Participações S.A. O intuito inicial era participar em leilões de privatizações, com menção àqueles que envolviam a CEMAR, a Companhia Energética do Maranhão.

Em 2004, a CEMAR tem graves problemas monetários e, em busca de soluções, a GP Investimentos (empresa internacional de investimentos relacionados com private equity e real state) implementa um plano de reestruturação da companhia elétrica.

Todo o processo de alienação acionária foi intermediado pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica). A GP Investimentos fez a renegociação de dívidas da empresa, entre elas a Eletrobrás. Em 2005, a GP inicia negociações com o grupo PCP Latin America Power Fund Ltd, o qual estava interessado em investir na Equatorial (ações EQTL3).

Em 2006, a ANEEL aprova o plano de reestruturação da empresa que consistia na venda de ações para o PCP, que obteve 50% do capital social votante da Equatorial.

A listagem da Equatorial (ações EQTL3) na bolsa de valores ocorreu no mesmo ano, em 2006, e, em 2007, um plano de três etapas para a reestruturação foi apresentado ao Mercado. A primeira delas consistia na transferência total da participação acionária ao grupo internacional PCP. Dessa forma, a Equatorial, que se restringia às regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, poderia se expandir para outras regiões e atingir solo internacional, em países da América Latina.

Em 2008, a segunda etapa do plano de reestruturação foi efetivada: a incorporação da empresa Light S.A., por meio de participação indireta em 13%. O acordo foi estabelecido com a PCP e a empresa Rio Minas Energia Participações S.A. (RME). No mesmo ano, na B3, os papéis da Equatorial aderem ao segmento de Novo Mercado, como a terceira etapa de reestruturação societária.

E ainda em 2008 que a Equatorial (ações EQTL3) adquire 25% de participação no controle da Geramar (Geradora de Energia do Norte S.A.), responsável pela implementação de usinas termoelétricas Geramar I e II, capazes de gerar 332 MW, no Maranhão.

Em 2013, a Equatorial (ações EQTL3) assumiu o controle da Celpa (Centrais Elétricas do Pará), o que deu origem à Equatorial Energia Pará.

No ano de 2016, a Equatorial ingressou no ramo de transmissão de energia, com a aquisição de 8 lotes com 2,5 mil km de extensão, entre os estados do Pará, Piauí, Bahia e Minas Gerais, em leilão da ANEEL. Estima-se que essas linhas de transmissão possam começar a operar em agosto de 2022.

Em 2017, a Equatorial adquire 51% de participação na Integração Transmissora de Energia S.A. (Intesa), uma linha operacional de 695 km de extensão que atravessa os estados de Tocantins e Goiás. No ano seguinte, a Equatorial iria fazer posse dos outros 49% da Intesa e deter 100% de participação acionária da transmissora.

Em 2018, a Equatorial Energia, em novo leilão de privatização, adquire a Equatorial Piauí (antiga Cepisa – Companhia Energética do Piauí), até então controlada pela Eletrobrás, e começa a distribuir energia no estado do Piauí. No final de 2018, a Equatorial Alagoas (antiga Ceal – Companhia Energética de Alagoas) também foi leiloada para a Equatorial Energia, em processo de privatização, antes pertencente à Eletrobrás (ações ELET3, ELET5, ELET6).

O que a Equatorial faz

A Equatorial Energia (ações EQTL3) atua no setor elétrico, nos tradicionais segmentos de distribuição, geração, transmissão, comercialização e prestação de serviços.

A respeito da distribuição, a Equatorial conta com a Equatorial Pará (1.248 mil km² em 144 municípios), Equatorial Maranhão (332 mil km² em 217 municípios), Equatorial Piauí (251 mil km² em 224 municípios) e Equatorial Alagoas (28 mil km² em 102 municípios).

Na transmissão, além da Intesa, a companhia conta com 8 projetos em estágio pré-operacional. Na geração, a Equatorial pode contar com a Termelétrica Geramar. Finalmente, a distribuição acontece por meio da empresa Sol Energias. Ainda, na área de prestação de serviços, a Equatorial dispõe da Equatorial Telecomunicações, com sede em Brasília.

A Equatorial (ações EQTL3) é uma empresa importante no cenário de energia elétrica no Brasil. Um claro exemplo de turnaround, ou seja, de uma empresa que conseguiu se recuperar depois de problemas econômicos-administrativos. O futuro da empresa parece ser muito promissor, quando seus 8 projetos de transmissão de energia começarem a funcionar, o que pode acontecer em 2022. Depois disso finalmente acontecer, a Equatorial poderá aumentar a sua atuação no segmento elétrico e consolidar-se ainda mais no mercado.

Quando EQTL3 paga dividendos?

Para saber quanto e quando Equatorial paga dividendos, você pode consultar a agenda dos próximos pagamentos de dividendos e o histórico de dividendos na aba "dividendos" aqui da página da empresa.

Se a sua dúvida é sobre algum ativo, pesquise-o na caixa de busca e verifique se a sua dúvida já foi respondida por algum membro da comunidade.