Ações CSN Mineração CMIN3

CSN Mineração SA

A CSN Mineração (ações CMIN3) é a segunda maior exportadora de minério de ferro do Brasil e está entre as cinco mais competitivas no mercado transoceânico. Ver mais

Conheça CSN Mineração ações CMIN3

A CSN Mineração é uma companhia de capital aberto negociada na bolsa de valores brasileira, suas ações são negociadas através do código CMIN3 na B3.

Indicadores CMIN3

  • P/L4,73

  • LPA0,87

  • P/VPA1,52

  • VPA2,69

  • DY21,42%

A CSN Mineração é a principal controlada da gigante empresa brasileira CSN no setor, e a segunda maior exportadora de minério de ferro do Brasil, além de estar entre as cinco mais competitivas no mercado transoceânico. Suas reservas são certificadas em mais de 3 bilhões de toneladas, também é detentora das minas de Casa de Pedra e do Engenho, que é o complexo de beneficiamento do Pires, além de sua participação na ferrovia MRS e terminal cativo destinado à exportação de minério de ferro no Porto de Itaguaí (TECAR). Como alguns dos fatores que permitem a CSN Mineração ocupar o cargo de uma das empresas mais eficientes do setor estão justamente sua operação integrada e seus ativos de alto valor.

A CSN Mineração (ações CMIN3) atua através de quatro frentes principais:

  • Mina de Casa de Pedra: Sendo a mineração de ferro mais antiga em operação no Brasil, a Casa de Pedra detém mais de 6 bilhões de toneladas em recursos e 3 bilhões de toneladas em reservas. O minério é lavrado em quatro corpos, seguindo posteriormente para beneficiamento na Planta Central (rota úmida) ou nas Plantas Móveis (rota seca), que ficam em localidades próximas às áreas de extração. A Casa de Pedra possui capacidade de produção avaliada em 30 milhões de toneladas anuais. Os produtos resultantes desse processo são: granulado, sinter feed e pellet feed. O escoamento do minério é realizado com destino ao Porto de Itaguaí (TECAR) por meio de terminais ferroviários localizados em Casa de Pedra e no Complexo do Pires;
  • Minas Engenho & Pires: Tendo a Casa de Pedra como vizinha, a nomeada Mina do Engenho possui reservas calculadas em 300 milhões de toneladas de minério. Detém um complexo de beneficiamento com unidade de britagem e peneiramento (ITM), planta de classificação e concentração espiral (ITFG) além de planta de concentração magnética de alta intensidade (CMAI). Essa linha produz granulado, sinter feed e concentrado. O minério é escoado por meio de um terminal ferroviário operante no próprio Complexo;
  • MRS: Através de operações ferroviárias nas regiões de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, a MRS é uma concessionária que opera mais de 170 milhões de toneladas de cargas por ano. A CSN detém 18,63% da participação no grupo controlador. A MRS é estrategicamente importante para a CSN Mineração, pois o minério de ferro destinado à exportação é transportado pela mesma desde as minas no estado de Minas Gerais até o Porto de Itaguaí, localizado no estado do Rio de Janeiro. No mercado nacional, essa ferrovia é a principal fonte de escoamento do minério, o que possibilita o atendimento de usinas siderúrgicas localizadas em toda a região Sudeste do país;
  • Porto de Itaguaí: Por fim, o Porto de Itaguaí (TECAR), é o terminal portuário administrado pela CSN Mineração interligado à MRS com capacidade de exportação superior a 42 milhões de toneladas de minério de ferro por ano no berço 102. Esse terminal possui capacidade para realizar uma descarga de até 3,5 milhões de toneladas de redutores no berço 101 a cada ano, e ainda a versatilidade de operações de outros granéis por meio do berço 202.

Entre os principais produtos da companhia, podemos classificar: 1) o granulado (50mm - 6.3mm), que se trata do minério de ferro obtido após britagens e peneiramentos iniciais. O formato aglomerado desse produto possibilita a carga direta no alto-forno. O teor de ferro do granulado CSN Mineração supera 61%; 2) Sinter Feed (6.3mm - 0.150mm), corresponde ao minério de ferro mais utilizado nas siderúrgicas no mundo, sendo obtido em fases seguintes ao processo de beneficiamento. Porém, antes de ser utilizado no alto-forno, o sinter feed deve ser aglomerado nas chamadas unidades de sinterização. O teor de ferro desse produto da companhia ultrapassa 63%; 3) Pellet Feed (< 0.150mm). Sendo o minério mais fino, é obtido após o processo de flotação. Com o fim de uso na siderurgia, esse item deve sofrer o processo de pelotização. Em uma dosagem menor, pode também ser misturado ao sinter feed e aglomerado nas unidades de sinterização. O teor de ferro do pellet feed CSN Mineração supera 66%.

Em termos de análise do setor em que a companhia está inserida, devemos levar em conta que o minério de ferro é o insumo básico da produção siderúrgica. Calcula-se que no ano de 2017 foram produzidas cerca de 2,2 bilhões de toneladas de minério de ferro no mundo. Desse montante, aproximadamente dois terços foram vendidos no mercado transoceânico. Respondendo por cerca de 85% do volume transoceânico, Austrália, Brasil e África do Sul são os maiores exportadores do mercado global. Em termos de demanda, a China é o principal importador. Tendo iniciado a última década com participação inferior a 20%, hoje a China corresponde a cerca de 70% do comércio de minério de ferro transoceânico. Como justificativa para essa transformação podemos indicar o vigoroso crescimento econômico do país como um todo, estimulando inevitavelmente investimentos em infraestrutura e construção, o que impulsiona a produção de aço local. Dentro deste contexto, a Companhia encontra-se na sexta posição de maior exportadora de minério de ferro no mundo, atendendo a clientes na Ásia, Europa, América do Norte e Brasil.

História da CSN Mineração

Tendo o pontapé inicial sido dado pelo empresário dinamarquês Arn Thun em 1910, já em 1913 iniciava a extração de minério da Casa de Pedra, localizada no município de Congonhas no estado de Minas Gerais. Com o desenvolvimento das atividades, em 1941 o presidente em exercício Getúlio Vargas assinou um decreto formalizando a criação da Companhia Siderúrgica Nacional, a CSN (ações CSNA3). A mina da Casa de Pedra foi então incorporada à companhia, que já buscava sua autossuficiência no minério de ferro.

Alguns anos depois, em 1993 para ser mais exato, a CSN teve seu processo de privatização concluído e seguiu sua trajetória de desenvolvimento e expansão. Dessa forma, foi fundada a Nacional Minérios S.A. em 2006, que é a subsidiária exclusiva da CSN com o fim de comercializar minério de ferro no âmbito internacional. No ano de 2013, o projeto de expansão nomeado TECAR é concluído, ampliando a capacidade de exportação anual para 45Mt de minério.

A CSN Mineração (ações CMIN3) nasceu em 2015, em uma operação que incluiu minas e respectivos ativos da Casa de Pedra, Engenho e Pires, o direito de operar o terminal TECAR e 18,63% das ações da MRS Logística S.A.

CSN Mineração na Bolsa de Valores

A Oferta Pública Inicial (IPO) das ações da CSN Mineração ocorreu em 2021 e suas ações podem ser negociadas através das ações CMIN3, que são ações ordinárias.

Pontos importantes de analisar para as ações da CSN Mineração é o free float e o tag along.

O free float é o número de ações da CSN Mineração que está em livre circulação no mercado. Quanto maior esse número, melhor, por que quanto mais ações disponíveis para negociação, aumenta o interesse de mais investidores, impactando a liquidez da empresa, e atualmente, 21,76% das ações CMIN3 de CSN Mineração estão em livre circulação no mercado.

Já o tag along significa o direito, em caso de venda das ações do sócio controlador, de vender suas ações junto; no caso de tag along de 100%, podem ser recebidos os mesmos valores do acionista majoritário. No caso de CMIN3, o tag along é de 100%.

No ponto da governança corporativa, as ações CMIN3 estão listadas no segmento Novo Mercado da B3, que representa grau máximo de governança corporativa. Por isso, CSN Mineração possui uma série de práticas que devem ser seguidas para aumentar a transparência e consistência das informações e a proteção de seus acionistas, incluindo minoritários, sinalizando assim.

Como declarar ações CMIN3?

Para declarar as suas ações da CSN Mineração no Imposto de Renda (IRPF), siga os seguintes passos:

  • Você deve entrar no item "Bens e Direitos" e selecionar o código "03 - Participações Societárias";
  • Depois, selecione o código "01 - Ações (inclusive as listadas em bolsa)";
  • Depois, em localização, escolha o país do seu investimento, no caso de ações, escolha "105 - Brasil";
  • No campo do CNPJ, digite "08.902.291/0001-15";
  • Depois, em discriminação, coloque o código da ação e a quantidade de ações, por exemplo "CMIN3 - QUANTIDADE: 1000";
  • No final, coloque o valor total investido no campo "Situação em 31/12".

As ações da CSN Mineração pagam dividendos?

Você pode consultar a agenda dos próximos pagamentos de dividendos e o histórico de dividendos da CSN Mineração na aba "dividendos" aqui na página da empresa.