Ações SLC Agrícola SLCE3

SLC Agricola SA

A SLC Agrícola (ações SLCE3) atua no setor do agronegócio, sendo uma das maiores produtoras de commodities agrícolas, focando na produção de algodão, soja e milho. Ver mais

Conheça SLC Agrícola ações SLCE3

SEGMENTO Agricultura

CNPJ

PÁGINA NA B3Ver site

FUNDADO

IPO

VALOR MERCADO

PÁGINA DE RIVer site

SITE OFICIALVer site

A SLC Agrícola (ações SLCE3) atua no setor do agronegócio, sendo uma das maiores produtoras de commodities agrícolas, focando na produção de algodão, soja e milho.

A SLC Agrícola se concentra em três modelos de negócios:

  • Operação agrícola em terras desenvolvidas próprias - Maior parte dos cultivos da empresa, sendo seu modelo de negócio inicial, através de décadas de aquisições de fazendas em seis estados diferentes na região do Cerrado. A grande parte das fazendas foi adquirida em estado bruto ou parcialmente desenvolvido, e, com os sucessivos anos de cultivo, o solo foi melhorado, desenvolvendo-se uma produção agrícola sustentável, gerando grande valor a esses ativos.
  • Operação agrícola em terras arrendadas (e Joint Ventures) - Ao longo do tempo, a SLC Agrícola visualizou a oportunidade de maximizar a utilização de sua capacidade instalada através de contratos de arrendamento com proprietários vizinhos ou próximos às Fazendas da empresa, os quais arrendam suas propriedades por 7 a 8 anos.
  • Aquisição de terras brutas para transformação e venda - No ano de 2012, em parceria com o fundo de private equity inglês Valiance criou-se a subsidiária SLC LandCo, o “braço imobiliário” da empresa, com a missão aumentar a agilidade no processo de aquisição e venda de terras.

SLC Agrícola: Hoje

Em relatório divulgado, em janeiro de 2021, a SLC Agrícola informou que possui 305 mil hectares de terras próprias, sendo 60% agricultáveis. Prevendo plantar na safra 20/21 472 mil hectares, sendo 145 mil hectares de área própria, 178 mil hectares de área arrendada & Joint Ventures, e mais 148 mil hectares de segunda safra.

As mudanças climáticas estão na lista dos principais riscos do setor do agronegócio, essas mudanças influenciam diretamente na rentabilidade da empresa, uma alternativa para reduzir o risco climático é ter fazendas em diferentes regiões, o que ocorre nas fazendas da SLG Agrícola, que se encontram em 6 Estados diferentes do Cerrado: Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Piauí.

A SLC se diferencia em três pontos:

  • Clima, diversificação geográfica: cultivando 3 culturas diferentes (Algodão, milho e soja) com janelas específicas de plantio/colheita, diversas variedades são utilizadas por cultura, com diferentes ciclos, e com características específicas para cada região. A colheita ocorre praticamente o ano inteiro, se inicia na região Centro Oeste, com a soja precoce, no mês de janeiro, e estende-se até abril na região Nordeste. A colheita do milho em segunda safra se inicia em junho e termina em agosto. O algodão é colhido de julho a setembro.
  • Preços das commodities em dólar: política de hedge, capacidade de armazenagem para venda na entressafra. As fazendas contam com estruturas para realizar o beneficiamento e armazenamento da produção até o momento de sua comercialização e transporte para os clientes internos e externos com elevado padrão de qualidade.
  • Produtividade: Melhores práticas agrícolas, se distanciando da média de produtividade brasileira e mundial, EARLY-User de novas tecnologias, ativos (terras diferenciadas), ganho de escala e controle e gestão.

Na fase atual, a empresa está focada em se distanciar em relação à média, apresentando solidez financeira e geração de valor ao acionista, com protagonismo em ESG.

A produtividade acima da média é umas das principais vantagens competitivas: a comparação de produtividade da soja produzida nas fazendas da SLC já é 14% acima da média brasileira e 36% acima da média mundial, enquanto para o algodão é 2,3% acima da média brasileira e 124% acima da média mundial.

História da SLC Agrícola

A história do Grupo SLC está ligada ao crescimento e desenvolvimento da agricultura nacional, sendo que no ano de sua fundação (1945) era apenas uma pequena oficina de reparo de implementos agrícolas.

Logo, Frederico Jorge Logemann e Balduíno Schneider (e a família Ullmann entre os sócios) fundadores da SLC, em uma época onde as fazendas produziam suas lavouras manualmente, tomaram a decisão de fabricar as próprias máquinas agrícolas, as primeiras foram trilhadeiras, máquinas de debulhar cereais.

20 anos após sua fundação, a SLC Agrícola produziu a primeira colheitadeira automotriz do Brasil, trazendo inovações que transformaram o setor em um dos mais tecnológicos e produtivos do mundo.

1977 é o ano da fundação da SLC Agrícola, dois anos após a John Deere compra 20% do empreendimento de máquinas agrícolas da SLC, sendo que em 1999 compra esse negócio em sua totalidade.

Na década de 80 ocorreu o primeiro grande salto da SLC Agrícola. Nessa época, a empresa tinha menos de 2 mil hectares na cidade de Horizontina (RS). Os acionistas que eram descendentes de alemães, venderam a fazenda por R$ 3 milhões, e com R$ 1 milhão compraram no Estado do Maranhão a fazenda Parnaúba, com 26 mil hectares.

2007 é a abertura de capital da SLC Agrícola (globalmente, a primeira em seu setor) na bolsa de valores de São Paulo, a B3 (antiga Bovespa) com o ticker SLCE3. Onde foram ofertadas 30.437.500 ações, captando R$426,125 milhões, valor que foi utilizado para impulsionar o seu forte crescimento, por meio de arrendamentos de terras e formação de joint ventures, e a conquista de certificações para os produtos.

A SLC Agrícola vive agora a terceira fase de desenvolvimento, em que a digitalização e as novas tecnologias transformam as práticas agrícolas. Estão focados em atingir o máximo de eficiência, com uma gestão que potencializa a rentabilidade sobre os ativos (asset light), prioriza o crescimento em culturas de maior valor agregado e consolida a rastreabilidade da produção.

Com alta eficiência e tecnologias modernas, buscam ampliar a produção nas áreas já desenvolvidas. Com inovação e planejamento procuram aperfeiçoar de forma contínua todos os detalhes do processo produtivo. Investimos em certificações e mecanismos que assegurem a rastreabilidade dos produtos, agregam valor à sua cadeia produtiva.

Quando SLCE3 paga dividendos?

Para saber quanto e quando SLC Agrícola paga dividendos, você pode consultar a agenda dos próximos pagamentos de dividendos e o histórico de dividendos na aba "dividendos" aqui da página da empresa.

Se a sua dúvida é sobre algum ativo, pesquise-o na caixa de busca e verifique se a sua dúvida já foi respondida por algum membro da comunidade.