Ações Light LIGT3

Light SA

A Light Rio ou somente Light (ações LIGT3) é uma empresa privada responsável por gerar, comercializar e distribuir soluções de energia elétrica. Ver mais

Conheça Light ações LIGT3

A Light é uma companhia de capital aberto negociada na bolsa de valores brasileira, suas ações são negociadas através do ticker LIGT3 na B3.

Indicadores LIGT3

  • P/L8,09

  • LPA0,9

  • P/VPA0,31

  • VPA23,16

  • DY3,5%

A Light Rio ou somente Light (ações LIGT3) é uma empresa privada responsável por gerar, comercializar e distribuir soluções de energia elétrica.

Conheça toda a história da Light, desde a origem, até o período em que foi de uma empresa do Estado para uma empresa privada.

A origem da Light vem de fora do país, na cidade de Toronto, no Canadá. Por lá, em 1899, é fundada a São Paulo Tramway, Light and Power Company. No mesmo ano, em 17 de julho, o então Presidente brasileiro Campos Sales autorizou por decreto o início das operações da empresa no Brasil.

A atuação da empresa em solo paulista se deu no mesmo ano, iniciando com a construção da Usina Hidrelétrica Parnaíba, concluída em 1901. Posteriormente, a Companhia passou a gerenciar os serviços de geração e distribuição de energia elétrica e dos ainda existentes bondes em São Paulo.

Com o êxito das operações em São Paulo, foi fundada no Canadá, em 1904, a Rio de Janeiro Tramway, Light and Power Company. Esse foi o primeiro nome da Light Rio de Janeiro. A autorização governamental para atuar no Estado foi concedida em 30 de maio de 1905.

Nessa época, o Brasil (ações LIGT3) ainda não era considerado um país industrializado, mas a Light iniciava a construção da, considerada na época, a maior e mais moderna Usina Hidrelétrica do país, a Usina de Fontes, em Piraí – RJ. Com o avanço das indústrias no Estado do Rio, nas décadas seguintes começaram a surgir outras usinas, confira algumas:

  • Ilhas dos Pombos, em 1924;
  • Vigário, em 1952;
  • Nilo Peçanha, em 1953 – Entre outras.

Em 1907, a Light (ações LIGT3) comprou e unificou empresas dos bondes e carros que funcionavam nos centros e nas grandes avenidas do Rio de Janeiro. A gestão foi realizada pela empresa até 1963. O controle dos serviços contribuíram de maneira considerável com a formação da zona urbana do Rio, tendo uma parte de participação na formação dos bairros mais conhecidos da cidade, como Leme, Ipanema, Leblon e a emblemática Copacabana. Além disso, a Light também criou a Viação Excelsior e o Imperial, o ônibus de dois andares, apelidado de chope duplo pelos cariocas.

A holding canadense Brazilian Traction Light and Power Co. passa a controlar a Rio de Janeiro Light and Power Company e a São Paulo Light and Power Company no ano de 1912. A holding também adquiriu a concessão de serviços telefônicos de São Paulo. Em 1916, ela era a controladora dos serviços telefônicos nas duas principais cidades do país, criando a Rio de Janeiro and São Paulo Telephone Company, conhecida a partir de 1923 como Companhia Telefônica Brasileira – CTB. Em 1966, a CTB é repassada para o Governo.

Em 1956, a holding canadense começa a trabalhar em diversos setores, e altera seu nome para Brascan – Brasil Canadá Ltda. Já a Rio de Janeiro Light and Power Company e a São Paulo Light and Power Company se fundem em uma única empresa, sendo denominada de Light – Serviços de Eletricidade S.A, unida à Brascan. Esse foi o momento da razão social que se mantém até hoje.

Ao final de 1970, a Light iria encerrando o contrato de concessão com o Governo Federal, mas devido a circunstâncias desconhecidas, retrato do setor político do país na época (Ditadura militar), o ministro das minas e energia Shigeaki Ueki, adquire (por meio da Eletrobrás) o controle acionário da Light e a estatiza-a. A justificativa foi de que foi feito o necessário para a expansão da empresa e o êxito nos pedidos de empréstimos externos, evitando até mesmo a decadência completa da companhia.

Anos depois, em 1981, o Governo de São Paulo adquire a parte da Light que pertencia a capital paulista, criando a própria empresa de energia, denominada Eletropaulo. Já a parte "carioca", tornou-se uma empresa pertencente à holding estatal Eletrobrás, sendo responsável pelo fornecimento de energia elétrica para a região metropolitana do Rio e do Vale do Paraíba Fluminense.

Em 1966, através do Programa Federal de desestatização, a Light é privatizada via leilão na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, que ainda existia. Veja alguns dos participantes.

  • Rio Minas Energia Participações (RME);
  • Companhia Energética de Minas Gerais – Cemig;
  • Andrade Gutierrez;
  • Électricité de France.

Essas e outras empresas passaram a controlar cerca de 80% do capital da Light Rio. Após reestruturação acionária em 2002, a Électricité de France se consolidou como principal acionista controladora da empresa.

Em 2005, realizando o processo de desverticalização, se originam as seguintes empresas que hoje formam o Grupo Light (ações LIGT3).

  • Light Energia S.A;
  • Light Serviços de Eletricidade;
  • Light Esco – Comercializadora;
  • Holding Light S.A. – Controladora das três empresas acima.

Atualmente, a maior acionista da Light é a Samambaia FIA, com 20% das ações adquiridas, seguida pelo Santander PB FIA 1, com 10,16% e a Atmos Capital, com pouco mais de 6%, o restante (63,27%) está com os demais acionistas.

Por meio da Light Energias S.A, a estrutura da Light Rio inclui cinco usinas hidrelétricas com capacidade instalada de produzir 852 MW. A empresa também possui duas usinas elevatórias, localizadas no município de Piraí. No entanto, a Light não consegue produzir toda a energia elétrica destinada aos clientes residenciais, comerciais ou industriais, tendo que recorrer a aquisição de mais energia de outras usinas/empresas de geração de energia (como as usinas nucleares de Angra dos Reis, Furnas Centrais Elétricas e Itaipu).

Atualmente, a Light atende mais de 4,5 milhões de usuários, atuando em 31 dos 92 municípios fluminenses, isso representa 34% do total dos municípios. A área de concessão da Light é de cerca de 26% do Estado, ficando com algo próximo a 11.300 km² de concessão.

Light na Bolsa de Valores

A Oferta Pública Inicial (IPO) das ações da Light ocorreu em 2005 e suas ações podem ser negociadas através das ações LIGT3, que são ações ordinárias.

Pontos importantes a serem analisados para as ações da Light é o free float e o tag along.

O free float é o percentual de ações da Light que está em livre circulação na bolsa de valores, então quanto maior esse número for, melhor, pois quanto mais ações disponíveis para negociação, aumenta o interesse de mais investidores, impactando a liquidez da companhia, e atualmente, 100% das ações LIGT3 de Light estão em livre circulação no mercado.

Já o tag along representa o direito, em caso de venda das ações do sócio controlador, de vender suas ações junto; no caso de tag along de 100%, podem ser recebidos os mesmos valores do acionista majoritário. No caso de LIGT3, o tag along é de 100%.

No ponto da governança corporativa, as ações LIGT3 estão listadas no segmento Novo Mercado da B3, que representa o mais alto nível de governança corporativa. Como resultado, Light possui uma série de práticas que devem ser seguidas para o aumento de transparência e coerência de informações e a proteção de seus acionistas, incluindo minoritários, assim caracterizando.

Como declarar ações LIGT3?

Para declarar as ações da Light no Imposto de Renda (IRPF), siga os passos:

  • Você deve entrar no item "Bens e Direitos" e selecionar o código "03 - Participações Societárias";
  • Depois, selecione o código "01 - Ações (inclusive as listadas em bolsa)";
  • Depois, em localização, escolha o país do seu investimento, no caso de ações, escolha "105 - Brasil";
  • No campo do CNPJ, digite "03.378.521/0001-75";
  • Depois, em discriminação, coloque o código da ação e a quantidade de ações, por exemplo "LIGT3 - QUANTIDADE: 1000";
  • No final, coloque o valor total investido no campo "Situação em 31/12".

As ações da Light pagam dividendos?

Você pode consultar a agenda dos próximos pagamentos de dividendos e o histórico de dividendos da Light na aba "dividendos" aqui na página da empresa.