Ações Light LIGT3

Light SA

A Light Rio ou somente Light (ações LIGT3) é uma empresa privada responsável por gerar, comercializar e distribuir soluções de energia elétrica. Ver mais

Conheça Light ações LIGT3

Light é uma companhia de capital aberto que negocia suas ações na bolsa de valores brasileira, elas são negociadas através do código LIGT3 na B3.

CNPJ

PÁGINA NA B3Ver site ⇨

FUNDADO

IPO

VALOR MERCADO

PÁGINA DE RIVer site ⇨

SITE OFICIALVer site ⇨

A Light Rio ou somente Light (ações LIGT3) é uma empresa privada responsável por gerar, comercializar e distribuir soluções de energia elétrica.

Conheça toda a história da Light, desde a origem, até o período em que foi de uma empresa do Estado para uma empresa privada.

A origem da Light vem de fora do país, na cidade de Toronto, no Canadá. Por lá, em 1899, é fundada a São Paulo Tramway, Light and Power Company. No mesmo ano, em 17 de julho, o então Presidente brasileiro Campos Sales autorizou por decreto o início das operações da empresa no Brasil.

A atuação da empresa em solo paulista se deu no mesmo ano, iniciando com a construção da Usina Hidrelétrica Parnaíba, concluída em 1901. Posteriormente, a Companhia passou a gerenciar os serviços de geração e distribuição de energia elétrica e dos ainda existentes bondes em São Paulo.

Com o êxito das operações em São Paulo, foi fundada no Canadá, em 1904, a Rio de Janeiro Tramway, Light and Power Company. Esse foi o primeiro nome da Light Rio de Janeiro. A autorização governamental para atuar no Estado foi concedida em 30 de maio de 1905.

Nessa época, o Brasil (ações LIGT3) ainda não era considerado um país industrializado, mas a Light iniciava a construção da, considerada na época, a maior e mais moderna Usina Hidrelétrica do país, a Usina de Fontes, em Piraí – RJ. Com o avanço das indústrias no Estado do Rio, nas décadas seguintes começaram a surgir outras usinas, confira algumas:

  • Ilhas dos Pombos, em 1924;
  • Vigário, em 1952;
  • Nilo Peçanha, em 1953 – Entre outras.

Em 1907, a Light (ações LIGT3) comprou e unificou empresas dos bondes e carros que funcionavam nos centros e nas grandes avenidas do Rio de Janeiro. A gestão foi realizada pela empresa até 1963. O controle dos serviços contribuíram de maneira considerável com a formação da zona urbana do Rio, tendo uma parte de participação na formação dos bairros mais conhecidos da cidade, como Leme, Ipanema, Leblon e a emblemática Copacabana. Além disso, a Light também criou a Viação Excelsior e o Imperial, o ônibus de dois andares, apelidado de chope duplo pelos cariocas.

A holding canadense Brazilian Traction Light and Power Co. passa a controlar a Rio de Janeiro Light and Power Company e a São Paulo Light and Power Company no ano de 1912. A holding também adquiriu a concessão de serviços telefônicos de São Paulo. Em 1916, ela era a controladora dos serviços telefônicos nas duas principais cidades do país, criando a Rio de Janeiro and São Paulo Telephone Company, conhecida a partir de 1923 como Companhia Telefônica Brasileira – CTB. Em 1966, a CTB é repassada para o Governo.

Em 1956, a holding canadense começa a trabalhar em diversos setores, e altera seu nome para Brascan – Brasil Canadá Ltda. Já a Rio de Janeiro Light and Power Company e a São Paulo Light and Power Company se fundem em uma única empresa, sendo denominada de Light – Serviços de Eletricidade S.A, unida à Brascan. Esse foi o momento da razão social que se mantém até hoje.

Ao final de 1970, a Light iria encerrando o contrato de concessão com o Governo Federal, mas devido a circunstâncias desconhecidas, retrato do setor político do país na época (Ditadura militar), o ministro das minas e energia Shigeaki Ueki, adquire (por meio da Eletrobrás) o controle acionário da Light e a estatiza-a. A justificativa foi de que foi feito o necessário para a expansão da empresa e o êxito nos pedidos de empréstimos externos, evitando até mesmo a decadência completa da companhia.

Anos depois, em 1981, o Governo de São Paulo adquire a parte da Light que pertencia a capital paulista, criando a própria empresa de energia, denominada Eletropaulo. Já a parte "carioca", tornou-se uma empresa pertencente à holding estatal Eletrobrás, sendo responsável pelo fornecimento de energia elétrica para a região metropolitana do Rio e do Vale do Paraíba Fluminense.

Em 1966, através do Programa Federal de desestatização, a Light é privatizada via leilão na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, que ainda existia. Veja alguns dos participantes.

  • Rio Minas Energia Participações (RME);
  • Companhia Energética de Minas Gerais – Cemig;
  • Andrade Gutierrez;
  • Électricité de France.

Essas e outras empresas passaram a controlar cerca de 80% do capital da Light Rio. Após reestruturação acionária em 2002, a Électricité de France se consolidou como principal acionista controladora da empresa.

Em 2005, realizando o processo de desverticalização, se originam as seguintes empresas que hoje formam o Grupo Light (ações LIGT3).

  • Light Energia S.A;
  • Light Serviços de Eletricidade;
  • Light Esco – Comercializadora;
  • Holding Light S.A. – Controladora das três empresas acima.

Atualmente, a maior acionista da Light é a Samambaia FIA, com 20% das ações adquiridas, seguida pelo Santander PB FIA 1, com 10,16% e a Atmos Capital, com pouco mais de 6%, o restante (63,27%) está com os demais acionistas.

Por meio da Light Energias S.A, a estrutura da Light Rio inclui cinco usinas hidrelétricas com capacidade instalada de produzir 852 MW. A empresa também possui duas usinas elevatórias, localizadas no município de Piraí. No entanto, a Light não consegue produzir toda a energia elétrica destinada aos clientes residenciais, comerciais ou industriais, tendo que recorrer a aquisição de mais energia de outras usinas/empresas de geração de energia (como as usinas nucleares de Angra dos Reis, Furnas Centrais Elétricas e Itaipu).

Atualmente, a Light atende mais de 4,5 milhões de usuários, atuando em 31 dos 92 municípios fluminenses, isso representa 34% do total dos municípios. A área de concessão da Light é de cerca de 26% do Estado, ficando com algo próximo a 11.300 km² de concessão.

LIGT3 na Bolsa de Valores

O IPO das ações de Light ocorreu em 2005 e suas ações podem ser negociadas através das ações LIGT3, que são ações ordinárias.

Itens importantes a serem analisados para as ações de Light é o free float e o tag along.

O free float é a quantidade de ações da companhia que está em livre circulação. Quanto maior esse número, melhor, já que com mais ações disponíveis para negociação, aumenta o interesse de mais investidores, impactando a liquidez da empresa, e atualmente, 100.00% das ações LIGT3 de Light estão em livre circulação no mercado.

Já o tag along representa o direito, em caso de venda das ações do sócio controlador, de vender suas ações em conjunto, podendo receber os mesmos valores que o acionista majoritário em caso de tag along de 100%. No caso de LIGT3, o tag along é de 100%.

No ponto da governança corporativa, as ações LIGT3 estão listadas no segmento Novo Mercado da B3, que representa grau máximo de governança corporativa. Por isso, Light possui uma série de práticas que devem ser seguidas para aumentar a transparência e consistência das informações e a proteção de seus acionistas, incluindo minoritários, sinalizando assim.

Dividendos LIGT3

Você pode consultar a agenda dos próximos pagamentos de dividendos e o histórico de dividendos de Light na aba "dividendos" aqui da página da empresa.

Mural de discussão

Se a sua dúvida é sobre algum ativo, pesquise-o na caixa de busca e verifique se a sua dúvida já foi respondida por algum membro da comunidade.