Ações Cesp CESP5, CESP6, CESP3

Cia Energetica de Sao Paulo

A CESP – Companhia Energética de São Paulo (ações CESP5, CESP6, CESP3) atua na geração de energia elétrica noestado de São Paulo por meio de três usinas hidrelétricas. Fundada em 1966, a empresa tem sede administrativa em São Paulo e escritórios no interior. Ver mais

Conheça Cesp ações CESP5, CESP6, CESP3

Cesp é uma empresa de capital aberto negociada na bolsa de valores brasileira, suas ações são negociadas através do ticker CESP5, CESP6, CESP3 na B3.

CNPJ

PÁGINA NA B3Ver site ⇨

FUNDADO

IPO

VALOR MERCADO

PÁGINA DE RIVer site ⇨

SITE OFICIALVer site ⇨

A CESP - Companhia Energética de São Paulo (ações CESP6, CESP5, CESP3), é uma sociedade anônima de capital aberto com sede na cidade de São Paulo, que tem como atividades principais o planejamento, a construção e operação de sistemas de geração de energia e comercialização de energia elétrica. Mantém outras atividades empresariais complementares, como florestamento, reflorestamento e piscicultura, com o objetivo de proteger o meio ambiente alterado pela construção de reservatórios e instalações. Em dezembro de 2018, a VTRM Energia Participações SA ("VTRM") e a SF 92 foram adquiridas por meio de leilão para compra e venda de ações ordinárias pertencentes ao governo de São Paulo, por meio de autarquias e empresas sob seu controle. No dia 02/03/2020, a VTRM incorporou a SF 92. As ações da CESP são negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo, e, desde 28 de julho de 2006, passaram a ser negociadas no Nível 1 de Governança Corporativa da B3. Em função disso, a Administração vem continuamente melhorando suas prestações de informações ao mercado como um todo.

A CESP (ações CESP3, CESP5, CESP6) possui atualmente três usinas hidrelétricas operando a um regime de preço com capacidade instalada de 1.627 MW e energia física média garantida de 935 MW. Após a assinatura do contrato de concessão da nova usina hidrelétrica Engenheiro Sérgio Motta, também conhecida como Porto Primavera, (prorrogação do prazo de concessão até 2049), a empresa passou de concessionária pública de geração para concessionária independente de geração de energia, e continua com atividades supervisionadas e fiscalizadas pela Administração Nacional de Energia Elétrica (“ANEEL”) vinculada ao Ministério de Minas e Energia (“MME”), opera suas fábricas de forma integrada com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (“ONS”).

Para execução de suas operações, a CESP (ações CESP3, CESP5, CESP6) detém a concessão de duas usinas de geração hidrelétrica que operam no regime de preço e opera uma usina como operador temporário, com um total de 16 unidades geradoras, 1.627 MW de potência e 935 MW médios de garantia física de energia. As usinas estão instaladas nas bacias hidrográficas do Rio Paraná, no oeste do Estado de São Paulo, e do Rio Paraíba do Sul, no leste do Estado, especificados com mais detalhes abaixo:

  • Porto Primavera: Localizado no município de Rosana/SP, possui uma potência de 1.540 MW, garantia física de 887 MW médios e prazo de concessão até abril de 2049. A área do reservatório é de 2.250 km2, com uma extensão de barragem de 10,2 km, alimentando 14 unidades geradoras desde 1999;
  • Paraibuna: Localizado no município de Paraibuna/SP, possui uma potência de 87 MW, garantia física de 48 MW médios e prazo de concessão até março de 2021 (prorrogado). A área do reservatório é de 177 km2, com uma extensão de barragem de 0,5 km, alimentando 2 unidades geradoras desde 1978.
  • No que se refere ao setor de geração de energia no Brasil, as características físicas de nosso território, especialmente a grande extensão territorial e os abundantes recursos hídricos, desempenham um papel decisivo na implantação de parques hidrelétricos de geração. De acordo com o tipo de usina, a capacidade a ser instalada e o destino da energia, a usina é licenciada, autorizada ou registrada de acordo com o quadro de implementação. No chamado "ambiente de contratação regulado", os geradores podem vender sua energia às distribuidoras por meio de leilão público conduzido pela ANEEL, que é conduzido pela ANEEL em conjunto com a CCEE. No ambiente de contratação livre - ACL, as transações de energia podem ser realizadas a preços livremente negociados com comercializadoras, distribuidoras cujo mercado seja inferior a 500 GWh / ano e consumidores que podem adquirir energia no mercado livre.

    História da CESP

    A CESP teve sua constituição em 1966 pelo Governo do Estado de São Paulo, através da fusão de 11 empresas elétricas paulistas. Até o fim dos anos 90, a Companhia era integrada de forma vertical, com atuação nas atividades de geração, transmissão e distribuição de eletricidade no Estado.

    No final da década de 1990, em cumprimento ao plano de privatizações do Estado de São Paulo, seu patrimônio foi reorganizado. Os ativos e operações de distribuição foram incorporados em uma empresa, a Elektro eServiços S.A., que foi posteriormente privatizada. Os ativos de transmissão de energia foram transferidos para a CTEEP, que também foi privatizada. Os ativos e as operações de geração de energia estão divididos em três empresas: a própria CESP e duas outras empresas também foram privatizadas: Companhia de Geração de Energia Elétrica Tietê (atual AES Tietê SA) e Companhia de Geração de Energia Elétrica Paranapanema (atual Duke Energy International-Geração Paranapanema). A CESP continua sendo concessionária de seis usinas hidrelétricas: Ilha Solteira, Jupiá, Porto Primavera, Três Irmãos, Paraibuna e Jaguari.

    Com publicação em 11/09/2012, a Medida Provisória 579 trouxe à CESP a possibilidade de antecipação, para janeiro de 2013, da renovação de suas concessões das usinas Ilha Solteira e Jupiá, cujo vencimento era em 7 de julho de 2015. Ocorreu o mesmo fato à Usina Três Irmãos, que tinha em novembro de 2011 o vencimento de seu primeiro termo de concessão. Essa usina foi transferida à Tijoá Participações e Investimentos S.A. no mês de setembro de 2014, que foi a vencedora do leilão promovido pelo ente do Poder Público concedente. As condições estabelecidas na ocasião eram referentes a novas receitas com auferimento futuro pela Companhia para operação dessas usinas, e a valores de indenização para os ativos que ainda não haviam iniciado o processo de amortização, relativos ao projeto básico. Ficou estabelecido também que as usinas cujas renovações antecipadas não fossem aceitas seriam licitadas ao final do prazo das concessões.

    Em reunião realizada no dia 3 de dezembro de 2012, os acionistas da empresa decidiram por não renovar as concessões de forma antecipada. Dessa forma, a CESP continuará operando as Usinas Ilha Solteira e Jupiá normalmente até o término da concessão (07 de julho de 2015). Após várias tentativas frustradas de privatização ao longo de sua história, em 19 de outubro de 2018, ocorreu o leilão das ações da Companhia, no qual se sagrou vencedor o Consórcio constituído pela VTRM Energia Participações S.A. e pela SF Ninety Two Participações Societárias S.A., nomeado São Paulo Energia, na proporção de 50% (cinquenta por cento) de participação para cada uma das consorciadas onde finalmente a companhia foi desestatizada. Com a aquisição de controle, a VTRM se tornou titular de 46,76% das ações ordinárias e de 6,86% das ações preferenciais classe B, e a SF 92 se tornou titular de 46,76% das ações ordinárias e de 6,86% ações preferenciais classe B. Esse montante de ações representa cerca de 40% do capital social total da CESP. Em 02 de março de 2020, a SF 92 foi totalmente incorporada pela VTRM. Com isso, a VTRM passou a deter 94% das ações ordinárias e 14% das ações preferenciais classe B, totalizando assim uma participação total de 40% do capital social da Companhia.

    Qual a diferença entre CESP5, CESP6 e CESP3?

    A diferença está nos direitos dos acionistas, quem possui as ações CESP5, tem os seguintes direitos:

    • Prioridade no reembolso de capital, sem direito a prêmio no caso de liquidação da companhia;
    • Prioridade nos dividendos anuais, não cumulativo, de 10%.

    Já quem possui as ações CESP6:

    • Possui direito a tag along de 100%;
    • Possui direito no recebimento de dividendos na mesma quantia que as ações CESP3;
    • Não possui direito a voto em assembléia da empresa e continuarão não tendo direito mesmo na hipótese de não pagamento de dividendos.

    Já quem possui as ações CESP3:

    • Possui direto a tag along de 100%;
    • Possui direito a voto em assembléia.

    CESP5, CESP6 e CESP3 na Bolsa de Valores

    O IPO das ações de Cesp foi realizado em 1971 e suas ações podem ser negociadas através das ações CESP3, que são suas ações ordinárias, e ações CESP5/CESP6, que são suas ações preferenciais.

    Itens importantes de analisar para as ações de Cesp é o free float e o tag along.

    O free float é a quantidade de ações da companhia que está em livre circulação, então quanto maior esse número for, melhor, já que com mais ações disponíveis para negociação, aumenta o interesse de mais investidores, impactando a liquidez da empresa, e atualmente, 6.46% das ações CESP3 e 86.71% das ações CESP5/CESP6 de Cesp estão em livre circulação no mercado.

    Já o tag along representa o direito, em caso de venda das ações do sócio controlador, de vender suas ações junto, podendo receber os mesmos valores que o acionista majoritário em caso de tag along de 100%. No caso de CESP3, o tag along é de 100%, e de CESP5/CESP6, o tag along é também de 100%.

    Dividendos Cesp

    Você pode consultar a agenda dos próximos pagamentos de dividendos e o histórico de dividendos de Cesp na aba "dividendos" aqui da página da empresa. Você também vai conseguir ver qual das ações CESP5, CESP6, CESP3 paga mais dividendos.

    Mural de discussão

    Se a sua dúvida é sobre algum ativo, pesquise-o na caixa de busca e verifique se a sua dúvida já foi respondida por algum membro da comunidade.