Cotacão KISU11

Confira o preço do fii KISU11

  • Preço KISU11R$ 8,12

  • Valorização (7d)0,25%

  • Valorização (1m)-3,45%

  • Valorização (12m)7,12%

Indicadores do KISU11

Confira os indicadores do fii KISU11

  • DY10,83%

  • VPR$ 9,28

  • P/VP0,88

Não há notícias recentes.

Dividendos do KISU11

Confira a agenda, histórico e simulador de dividendos do fii KISU11

Simulador de dividendos do KISU11

Confira o simulador de dividendos do fii KISU11

Insira a renda mensal desejada e veja a mágica do nosso simulador acontecer :)

A simulação é feita para o recebimento de dividendo médio mensal, e não mensal, usamos como base o pagamento de dividendos e jcps dos últimos 12 meses e a cotação atual.

Clique aqui para realizar a simulação de outros ativos e realizar comparações.

KISU11 - FII Kilima FIC de FII SUNO 30

Confira os detalhes do fii KISU11

  • TipoPapel

  • SegmentoFundo de Fundos

  • CNPJ36.669.660/0001-07

  • MandatoTítulos e Valores Mobiliários

  • GestãoAtiva

  • PúblicoInvestidores em geral

Kilima FIC de FII Suno 30 (B3: KISU11)

O Kilima FIC de FII Suno 30 se trata de um fundo de investimento imobiliário (FII) negociado no ambiente da bolsa de valores brasileira, a B3, por meio do código de negociação KISU11.

A partir de sua atuação, o KISU11 é um fundo imobiliário de gestão ativa, apesar de ser baseado em replicar um índice passivo, o Índice Suno 30.

A partir disso, o gestor do fundo em questão possui certa flexibilidade em operar determinadas estratégias em prol de gerar maior valor ao cotista.

Em decorrência da atuação do fundo no mercado de capitais nacional, os dividendos do KISU11, geralmente, são pagos no décimo primeiro (11º) dia útil do mês.

Entretanto, já ocorreram pagamentos no décimo (10º) dia útil do mês, em determinadas situações.

Além disso, a data-base dos proventos, também conhecida no mercado financeiro como data-com, ocorre no entre os dias 30 ou 31 do mês anterior ao recebimento dos dividendos em questão.

Logo, como exemplo, para possuir direito ao recebimento de dividendos do KISU11, o investidor teria de possuir as cotas no dia 30 do mês anterior.

Em termos de gerenciamento do fundo, coloca-se em destaque dois entes importantes em tal atividade: a gestora e a administradora do fundo.

Como gestora do KISU11 tem-se a Kilima Gestão de Recursos Ltda. Ao passo em que se tem como administradora a BRL Trust DTVM.

Vale lembrar que o KISU11, assim como outros fundos imobiliários, é constituído em forma de condomínio fechado.

Logo, isso implica que as negociações referentes ao KISU11 são feitas no mercado secundário, no ambiente de negociação da B3, de forma em que as cotas do fundo “trocam de mãos” entre os cotistas que já as possuem previamente para, como consequência, possuírem o poder de vende-las.

É interessante destacar a relação entre a gestora, a Kilima, e a Suno, casa de análise com reputação relevante no mercado financeiro.

A Suno, atuante como casa de análise, não possui participação na gestão, propriamente dita, do KISU11, atividade que é de responsabilidade de Kilima.

Entretanto, a Suno é a compositora do índice Suno 30, e dos critérios adotados no mesmo, de modo em que licenciou essa marca para o uso da Kilima, na qualidade de gestora do KISU11.

A estratégia do KISU11

Conforme previamente abordado, o KISU11 se trata de um fundo imobiliário de gestão ativa, apesar do fato de ser baseado em um índice passivo, o Índice Suno 30.

O Índice Suno 30, propriamente dito, se trata de um índice com critérios estabelecidos, anteriormente, pela Suno e possui o foco em fundos imobiliários com excelência em gestão, em prol de possuir uma composição mais clara da relação risco versus retorno do mercado de fundos imobiliários.

Logo, entende-se que o Índice Suno 30 busca formar um portfólio de fundos imobiliários com base meritocrática na gestão dos compositores de sua carteira.

De forma mais aprofundada, com relação aos critérios do Índice Suno 30, tem-se quatro critérios fundamentais para a entrada de novos FIIs no índice em si, são eles:

1. O fundo imobiliário deve fazer parte do IFIX (“o IBOV do mercado de fundos imobiliários”);

2. O FII não pode ser um FoF (Fund of Funds – Fundo de fundos);

3. O fundo não pode ser um FII mono-ativo, ou seja, deve possuir mais de um ativo (imóvel físico ou ativo mobiliário) em sua carteira;

4. É necessário possui Dividend Yield maior que 0 nos últimos 12 meses, ou seja, o fundo tem de, necessariamente, ter distribuído dividendos nos 12 meses passados;

Passados esses critérios, os fundos que atenderam aos critérios em questão são ordenados em ordem decrescente de patrimônio líquido (PL).

A partir disso, os 30 fundos de maior patrimônio líquido, que atendem aos critérios anteriormente mencionados, farão parte do Índice Suno 30 e, como consequência, serão parte da carteira do KISU11.

Os 30 fundos imobiliários, compositores do índice Suno 30 em determinado momento, compõem a carteira do KISU11 com igual exposição.

Assim sendo, existirá a exposição de 3,33% em cada fundo imobiliário existente no índice.

É importante destacar que o Índice Suno 30 é revisado com frequência trimestral, ou seja, poderá sofrer alterações trimestralmente.

Em complemento à exposição aos FIIs que são parte do Índice Suno 30, o KISU11, como mencionado anteriormente, possui uma gestão ativa de seus recursos.

Dessa forma, apesar de replicar a carteira do índice Suno 30, há um nível de liberdade para que a gestão do fundo opere determinadas estratégias, conforme entender que as mesmas podem beneficiar o retorno do fundo.

A partir disso, o KISU11 adota estratégias de gestão ativa em prol de gerar, ao cotista, maior valor que apenas os proventos pagos pelos fundos de sua carteira.

Por fim, é interessante mencionar que, apesar de se tratar de um fundo de investimento imobiliário, o KISU11 também aufere ganhos a partir de papeis de renda fixa. Em linhas gerais, esses são papeis com liquidez, formadores de caixa do fundo.

As taxas do KISU11

É surpreendente perceber que, apesar de uma atuação tão ampla e da adoção de estratégias de gestão ativa, o KISU11 possui baixas taxas cobradas ao cotista.

A taxa de administração do KISU11 incide sobre a alíquota de 0,65% ao ano. Além disso, não existe, no KISU11, a incidência de taxas de outra natureza, como taxas de performance, taxas de gestão e afins.

Administrador do KISU11

Confira o administrador do fii KISU11

Declarando KISU11 no imposto de renda

Confira o passo a passo de como declarar o fundo KISU11 no IRPF

  • Você deve entrar no item "Bens e Direitos" e selecionar o código "07 - Fundos";
  • Depois, selecione o código "03 - Fundos de Investimento Imobiliário (FII)";
  • Depois, em localização, escolha o país do seu investimento, no caso de ações, escolha "105 - Brasil";
  • No campo do CNPJ, digite "36.669.660/0001-07";
  • Depois, em discriminação, coloque o código da fundo e a quantidade de cotas, por exemplo "KISU11 - QUANTIDADE: 1000";
  • No final, coloque o valor total investido no campo "Situação em 31/12".