Você já leu o livro “O investidor inteligente”? Sabe do que esse livro fala e quais são as coisas que ele ensina para os investidores de maneira geral?

O fato é que este é um daqueles livros clássicos sobre investimento que todo investidor deveria ter na cabeceira da cama. Não invista sem antes folheá-lo.

Por outro lado, hoje em dia é difícil encontrar tempo para ler um livro do começo ao fim. Por isso, um resumo como esse pode ser um bom ponto de partida.

Benjamin Graham, autor de “O investidor inteligente”

Benjamin Graham foi um economista, investidor e professor britânico nascido na américa em 1894 que escreveu “O investidor inteligente” e “Security Analysis”.

Ambos estes livros são considerados os dois textos fundadores do movimento de investimento neoclássico. Benjamin, no entanto, morreu em 1976.

Formado na universidade de Columbia aos 20 anos de idade, ele começou uma carreira em Wall Street, o que o levou a fundar a Graham-Newman Partnership.

Vale destacar que em um dado momento um dos seus empregados foi o Warren Buffet, considerado o maior investidor de todos os tempos da bolsa de valores.

Resumo de o “O investidor inteligente”

A primeira coisa que o leitor deve saber sobre este livro é que ele não foi escrito tendo o especulador da bolsa em mente. Ele não serve para quem quer dinheiro rápido.

A abordagem de investimento apresentada nesta obra tem muito mais a ver com investimentos de longo prazo, sem se importar com indicadores ou gráficos.

  • Na realidade, existem três objetivos principais advogados pelo “O investidor inteligente”, são eles:
  • Entender como minimizar as chances de sofrer prejuízos irreversíveis;
  • Aprender a investir para maximizar as chances de obter ganhos sustentáveis;
  • Aprender a desenvolver o autocontrole para não tomar decisões emocionadas.

Então, este livro prega uma filosofia de investimento calcada na psicologia do investidor, no débito mínimo, em buy and hold, diversificação concentrada e a análise fundamentalista.

Essa era a filosofia pessoal do autor que investia de forma inteligente para ter segurança sem deixar de aproveitar as oportunidades, sempre correndo o mínimo risco.

Inclusive, já no primeiro capítulo da obra o autor já faz questão de separar o que é investimento de verdade e o que não passa de pura e simples especulação.

O livro é composto ao todo de 20 capítulos que versam sobre variados temas, desde a influência que a inflação tem e também sobre os tipos de investidores.

O autor também aborda como investir em fundos de investimento, fala sobre ações ordinárias e termina falando sobre a importância da margem de segurança.

Para tornar o seu conteúdo mais didático, em alguns capítulos do livro são traçadas comparações entre empresas listadas na bolsa americana daquela época.

Vale destacar que este livro tem a intenção de focar muito mais na precificação de um negócio, do que em táticas para avaliar o preço justo de uma ação.

Definição de investidor inteligente

O investidor inteligente não é necessariamente alguém com um alto Q.I, ou que seja considerado inteligente. Há muitas coisas que influenciam a qualidade de um investidor.

Na realidade, o verdadeiro investidor inteligente é aquele que consegue tomar decisões racionais na maior parte do tempo, sempre com paciência e disciplina.

Um traço importante do investidor inteligente é que ele está sempre disposto a aprender mais. Ele sabe que pode sempre aprender algo novo e quem sabe tudo, está enganado.

Esse investidor também sabe que não existe uma fórmula mágica para o sucesso, e também não há nenhuma matemática que sirva de atalho para descobrir boas empresas.

Pessoas altamente inteligentes no seu campo de atuação podem ser, por exemplo, péssimas investidoras e tomarem decisões muito burras e amadoras.

Isaac Newton, um dos maiores cientistas de todos os tempos perdeu o equivalente a mais de 3 milhões de dólares no século XVIII por conta da empolgação com o mercado de ações.

O investidor inteligente é defensivo ou agressivo?

Um dos temas abordados em “O investidor inteligente”, é a respeito do conceito de investidor defensivo e investidor agressivo. Qual dos dois você é?

Essas definições de investidor são baseadas na noção de quanto risco uma pessoa está disposta a correr com os seus investimentos sem que ela comece a tomar decisões ruins.

Geralmente, o investidor agressivo é aquele que está mais disposto a se riscar, tendo uma carteira de investimentos mais composta por ativos de renda variável, como ações.

Já o investidor defensivo pode ter uma parte maior dos seus investimentos alocados em ativos de renda fixa. As ações que ele escolhe são de empresas consolidadas.

Empresas que têm um histórico maior para ser analisado, que tem uma boa regularidade de pagamento de dividendos, são o tipo de empresas que o investidor defensivo investe.

Essas empresas dificilmente poderiam ter um crescimento exponencial muito grande de uma hora para outra, tendo sempre um valor bastante estável.

Por outro lado, o investidor agressivo gosta de ações um pouco menos conhecidas, de empresas que ainda tem oportunidade para crescer e multiplicar o seu valor.

A questão é que nem todas as pessoas são investidoras agressivas ou investidoras defensivas. É importante saber qual é a sua personalidade para melhorar os seus investimentos.

Vale a pena ler “O investidor inteligente”?

Este livro é um clássico da literatura de investimento, sendo um dos mais famosos do meio nos Estados Unidos. Apenas recentemente ele foi traduzido para o português.

Sua leitura é muito recomendada, tanto para investidores novatos e experientes que queiram aprender como se tornam investidores melhores.

Esta obra, no entanto, não tem a intenção de mostrar ferramentas de análise minuciosas que podem ser utilizadas para encontrar resultados matemáticos sempre.

Na realidade, vale lembrar que o Long-Term Capital Management, um fundo de hedge que era dirigido por matemáticos, especialistas em computação e economistas com o prêmio nobel, perdeu 2 bilhões em 1998.

O ponto central do livro é mostrar que a análise de uma empresa vai muito além dos seus dados financeiros, daquilo que ela compartilha publicamente.

O investidor inteligente sabe como investir de forma responsável, independente do seu perfil ser defensivo ou agressivo, ou seu aporte ser grande ou pequeno.



Ver livro na Amazon