Ações do setor Automotivo

O setor é formado por empresas que produzem componentes, peças e tecnologias para veículos automotivos, atualmente no Brasil, o setor é pouco desenvolvido. Ver mais

Conheça o setor Automotivo

Escrito por:

Marcilio Lima

No Brasil o setor automotivo ainda é pouco desenvolvido, não existem montadoras e marcas nacionais de veículos.

Portanto, o setor é formado apenas por empresas que produzem componentes, peças e tecnologias para veículos automotivos.

Como exemplo, a fabricação de:

  • Rodas;
  • Autopeças;
  • Sistemas de gerenciamento de ar, óleo, entre outros;
  • Sistemas de arrefecimento;
  • Sistemas mecatrônicos.

Algumas companhias do setor automotivo exportam uma certa parte de seus produtos.

Cabe destacar a modernização a qual as empresas terão de se adaptar no médio e longo prazo. Com a ascensão dos veículos elétricos e com sua crescente adoção, surgirá uma maior demanda por peças e tecnologias próprias para esses veículos.

Consequentemente, as empresas do setor automotivo terão que se adaptar a essa demanda crescente.

Com isso, o setor automotivo adotará progressivamente novas tecnologias, o que impõe a evolução tecnológica não somente das montadoras, mas de todas as empresas inseridas no setor.

Setor automotivo na bolsa de valores

Na bolsa de valores a presença de companhias do setor automotivo é marcada por empresas produtoras de peças e sistemas para veículos em geral.

Como exemplos de empresas listadas na B3 e inseridas no setor automotivo, temos as seguintes:

  • Plascar (PLAS3): Empresa que atua com a produção de autopeças e possui presença no mercado internacional, por meio da exportação de parte de sua produção;
  • Mahle Metal Leve (LEVE3): Companhia atuante na produção de componentes, tecnologias e peças para veículos de passeio e de grande porte, para motores regulares e motores grandes. Exporta seus produtos para diversos países;
  • Iochpe-Maxion (MYPK3): Produtora de rodas para automóveis. Possui tanto presença nacional quanto fábricas no exterior.

É interessante destacar, como ponto em comum entre as empresas citadas, que todas possuem algum grau de exposição ao mercado internacional, tanto por meio de exportação quanto pela posse de fábricas fora do Brasil.

Assim, as variações no mercado internacional e nas taxas cambiais tem impacto sobre os resultados das empresas automotivas brasileiras.

Vantagens do setor automotivo

Normalmente as empresas do setor automotivo tem uma demanda constante por seus produtos e serviços. Consequentemente, esse nível de demanda gera uma previsibilidade de receitas, dependendo dos ciclos da economia. Isso permite que as empresas do setor automotivo tenham tempo para programar sua produção e, com isso, obter resultados financeiros positivos no longo prazo.

Além disso, como mencionado anteriormente, muitas empresas do setor automotivo possuem presença no mercado internacional por meio da exportação de seus produtos. Portanto, essas companhias contam com exposição ao dólar. Com base nisso, elas tem a capacidade de equilibrar seus resultados em situações nas quais a taxa de câmbio se encontra muito elevada.

Afinal, com o aumento do preço do dólar os produtos tendem a encarecer no Brasil. Entretanto, como as empresas do setor automotivo vendem no mercado internacional e recebem em dólar, seus resultados financeiros tendem a se equilibrar ou até mesmo a melhorar com as receitas recebidas em dólar.

Por fim, o setor automotivo desempenha papel fundamental sobre a locomoção urbana, tanto no Brasil quanto no mundo. Os carros, em muitas cidades, ainda são um dos principais meios de transporte devido à ausência de um sistema de transporte público mais desenvolvido.

Riscos do setor automotivo

A incapacidade de se adaptar a novos cenários é o principal risco para as empresas do setor automotivo.

especialmente se considerarmos a modernização impulsionada principalmente pela introdução de veículos elétricos. Nesse sentido, as empresas do setor devem se aprimorar no intuito de fornecer peças e manutenção para esse tipo de veículo.

Também deve ser observado que a demanda por veículos é cíclica, ou seja, aumenta em tempos de economia em expansão e diminui em tempos de economia estagnada. Por isso, atrasos na produção das empresas do setor automotivo podem impactar negativamente seus resultados.

Além disso, vale lembrar que, em diferentes momentos, políticas governamentais (como redução de impostos) estimulam a demanda por veículos, o que beneficia as empresas do setor. No entanto, uma forte dependência de incentivos governamentais pode ser um risco, pois os incentivos podem ser encerrados, afetando negativamente os lucros das empresas.

Vale destacar também que, como risco para as montadoras, há mudanças nos hábitos de consumo de transporte que muitas pessoas utilizam no seu dia a dia. Há uma tendência crescente para meios de transporte alternativos (por exemplo, scooters, bicicletas, metrôs, ônibus, caminhadas, etc.).

Dessa forma, mudanças nos hábitos de transporte pessoal podem afetar negativamente a demanda por compra de carros. Como resultado, a receita das empresas que fabricam componentes e sistemas para a indústria automobilística brasileira pode ficar sob pressão devido à queda na demanda por carros e outros veículos.