Escrito por:

Marcilio Lima

A receita líquida da Suzano (SUZB3) no 2T22 teve um o aumento de 18% explicado pelo maior volume total de vendas (+11%) e pelo maior preço médio líquido, parcialmente compensado pela valorização do BRL em relação ao USD (6%).

Comparando com 2T21, a elevação foi de 17% explicada principalmente pelo maior preço médio líquido da celulose em dólar (+15%), maior volume de vendas (+5%), parcialmente compensada e pela valorização do BRL médio em relação ao USD (7%).

83% da receita líquida foi gerado no mercado externo.

O EBITDA ajustado houve um aumento de 23% em relação ao 1T22 é explicado em função do maior preço da celulose e do papel e também pelo maior volume vendido (+11%).

A Suzano registrou lucro líquido de R$ 182 milhões, uma redução de 98% quando comparado ao 1T21, sendo explicada pela variação negativa no resultado financeiro, por sua vez decorrente do impacto negativo da variação cambial sobre a dívida e da marcação a mercado das operações com derivativos, em oposição aos dois períodos de comparação.

No final do 2T22, a dívida líquida era de R$ 54,9 bilhões (US$ 10,5 bilhões) versus R$ 49,7 bilhões (US$ 10,5 bilhões) observados no final do 2T21.

Fique por dentro dos resultados do 2T2022, acesse aqui a agenda de resultados.


Clique aqui para entrar no nosso canal do Telegram e ter acesso aos nossos conteúdos em primeira mão.