Escrito por:

Marcilio Lima

O Santander (SANB11) em seu primeiro trimestre de 2022, teve um lucro gerencial de 1,3% em relação ao mesmo período de 2021, cerca de R$ 4,005 bilhões. Já o lucro líquido societário foi surpreendente, atingindo R$ 3,946 bilhões, o que é 40,1% maior em relação a 1T21.

Nos três primeiros meses de 2022, a margem financeira líquida do Santander foi de R$ 9,327 bilhões, isso representa uma queda de 9,1% em relação ao mesmo período em 2021. Assim, o ROAE (retorno sobre patrimônio líquido médio) chegou a 20,7% nos três primeiros meses desse ano, ou seja, uma de alta de 0,1 ponto percentual, comparado com o ano 1T22.

O resultado operacional do Santander também mostrou uma queda de 19,1% comparado ao primeiro trimestre de 2021, isso equivale a R$ 5,210 bilhões. Por outro lado, a receita de prestação de serviços e tarifas bancárias cresceu 5,7%, ou seja, R$ 4,617 bilhões no primeiro trimestre de 2022.

Esse foi um ano em que o Santander buscou inovar, e atingiu R$ 5,534 bilhões em despesas gerais no 1T22. Isso representa um aumento de 10,5% quando comparado ao mesmo período de 2021.

Com um crescimento de 7,2%, a carteira de crédito do Santander chegou a R$ 455,166 bilhões no 1T22 comparado ao mesmo trimestre de 2021. Por fim, a carteira de crédito ampliada apresentou uma alta de 4,9%, assim, ela totalizou R$ 521,929 bilhões no 1T22, 4,9% a mais que 1T21. O índice de inadimplência (acima de 90 dias), portanto, chegou a 2,9% nesse período, uma alta de 0,77 ponto comparado ao primeiro trimestre de 2021.

Vale destacar que é importante ficar de olho nas novas atitudes do Santander, afinal, na última sexta-feira (17), o grupo apresentou o novo presidente. Desse modo, a partir de 2023, o mexicano Héctor Blas Grisi Checa, de 55 anos, assumirá a posição de presidente mundial.


Clique aqui para entrar no nosso canal do Telegram e ter acesso aos nossos conteúdos em primeira mão.